Login to your account

Username *
Password *
Remember Me
Sexta, 18 Janeiro 2019

Cannot get Condeúba location id in module mod_sp_weather. Please also make sure that you have inserted city name.

Após a piora do quadro de saúde da ex-primeira Marisa Letícia, a equipe médica do Hospital Sírio-Libanês confirmou a ausência de atividade cerebral na manhã desta quinta-feira (2).

Por meio de uma publicação em redes sociais, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva agradeceu “todas as manifestações de carinho e solidariedade recebidas” e informou que a família autorizou a doação dos órgãos de Marisa, internada desde o último dia 24 de janeiro após sofrer um Acidente Vascular Cerebral (AVC).

Sete criminosos são mortos e um é baleado durante troca de tiros com policiais civis, na madrugada desta quinta-feira (2), em Mata Verde, no Norte de Minas. Segundo a PC, a quadrilha, que é de São Paulo, é investigada por explosões de caixas na região e estava sendo monitorada.

“Começamos a investigar crimes de explosão de bancos e chegamos aos membros da quadrilha. Sabíamos que eles iriam tentar explosões em Mata Verde, entre terça e sexta-feira. Escalamos 40 policiais civis das Regionais de Montes Claros e Janaúba. Na madrugada de hoje, estes policiais, armados e bem posicionados, perceberam o momento em que oito homens chegaram em frente aos bancos da cidade, em uma caminhonete. Eles desceram do veículo e, de imediato, foi dada voz de prisão. Eles atiraram contra os policiais civis e houve confronto", explicou o delegado Renato Nunes Henrique, Chefe do Departamento da Polícia Civil de Montes Claros. Nenhum policial ficou ferido.

Ainda de acordo com ele, os bandidos estavam armados com fuzis, carabinas, metralhadoras e pistola. A polícia apreendeu dinamites, alavanca e picareta, que eram utilizados nas explosões. A perícia da Polícia Civil está no local.

O delegado informou ainda que a quadrilha é suspeita de explodir um caixa eletrônico de um banco e uma agência dos Correios em Montezuma, na madrugada da última quarta-feira (01). Eles também teriam explodido caixas em Monte Azul e São João do Paraíso.

*As informações do G1

A pesidente do Supremo Tribunal Federal, a ministra Cármen Lúcia, homologou, nesta segunda-feira (30), as 77 delações de executivos e ex-executivos da Odebrecht.

Agora, o material será encaminhado para a Procuradoria Geral da Républica, que vai analisar os documentos para decidir sobre quais pontos irá pedir investigação. De acordo com o site O Antagonista, as delações ficaram em segredo de Justiça. Antes, havia a expectativa de que os depoimentos fossem publicados neste mês de fevereiro.

Na última sexta-feira (27), juízes auxiliares do gabinete do ministro Teori Zavascki concluíram as audiências com os 77 executivos e ex-executivos da empreiteira Odebrecht que fecharam acordo de delação premiada no âmbito da Operação Lava Jato. Com informações do portal G1.

Todo trabalhador que possui carteira assinada tem de 8% a 11% do salário recolhidos e destinados à Previdência Social. Essa prática deve ser feita pelo empregador, que desconta a contribuição do rendimento do funcionário e a comprova por meio da folha de pagamento, além de complementar o percentual até 20% do valor. Porém, é preciso ficar atento aos descontos e verificar se eles realmente estão sendo direcionados ao INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), para não ser pego de surpresa, como acontece com muitos servidores públicos, que sofrem o desconto mas depois que descobre que o órgão onde trabalha não repassa os recolhimentos à Previdência. O órgão que desvia esse dinheiro está cometendo um crime e pode até ser preso. apontam especialistas.

De acordo com a presidente do IBDP (Instituto Brasileiro de Direito Previdenciário), Jane Berwanger, essa é uma obrigação legal do órgão, para garantir ao funcionário o direito à contagem de tempo para a aposentadoria, ao auxílio-doença, ao salário-maternidade e a outros benefícios. Caso o empregado perceba que as cobranças não foram repassadas, ele não deve ser prejudicado. “Basta que o trabalhador comprove o vínculo com o órgão, que o INSS não poderá penalizá-lo pelo recolhimento não repassado.”

Para tais comprovações, o segurado poderá se utilizar de holerites e comprovantes de pagamentos em e-mails e até à própria carteira de trabalho em boas condições. Segundo Jane, “o INSS jamais poderá alegar que não houve contribuição mediante às provas”.

A Previdência Social informa que, no caso de os recolhimentos não serem contabilizados no CNIS (Cadastro Nacional de Informações Sociais) do segurado, espécie de extrato das contribuições, ele deverá procurar, diretamente ou por meio do sindicato da sua categoria, a Receita Federal, que também é responsável pela fiscalização das contribuições previdenciárias, e o Ministério do Trabalho, quanto ao não cumprimento das obrigações trabalhistas, como o FGTS.

O advogado especialista em Direito Previdenciário Patrick Villar, da Villar Advocacia, considera que é possível que a partir das cobranças sem o repasse ao INSS possa haver uma ação contra o órgão, mas que isso em nada poderá afetar o trabalhador. “A situação pode ser considerada crime de apropriação indébita previdenciária, conforme prevê o artigo 168 do Código Penal”, alerta.

Confirmado pelo Corpo de Bombeiros: o ministro do Supremo Tribunal Federal Teori Zavascki faleceu vítima do acidente aéreo em Paraty, no litoral sul do Rio. Ele deve ser velado no STF e será enterrado em Santa Catarina. 

Ele deve ser velado no STF e será enterrado em Santa Catarina

 

 

Do G1 Sul do Rio e Costa Verde

Um avião caiu na tarde desta quinta-feira (19) no mar de Paraty, na Costa Verde do Rio de Janeiro. Segundo o Corpo de Bombeiros, há três mortes confirmadas. Os nomes não foram divulgados.

O que sabemos até o momento:
– O nome do ministro do STF Teori Zavascki estava na lista de passageiros, segundo a assessoria do Supremo. Ainda não foi confirmado se ele embarcou.
– O avião prefixo PR-SOM era um modelo Hawker Beechcraft King Air C90 e pertencia ao grupo Emiliano Empreendimentos.
– O avião decolou às 13h01 do Campo de Marte, em São Paulo (SP) com destino a Paraty e caiu a 2 km de distância da cabeceira da pista do aeroporto da cidade do Rio de Janeiro.
– A aeronave é de pequeno porte e tem capacidade para oito pessoas. De acordo com a FAB (Força Aérea Brasileira), quatro pessoas estavam a bordo. Ainda não há informações sobre a identidade das vítimas.
– A Anac informou que a documentação da aeronave estava regular. O certificado era válido até abril de 2022, e inspeção da manutenção (anual) válida até abril de 2017.

O acidente
Por volta de 14h50, a Polícia Militar havia disponibilizado uma lancha para auxiliar nas buscas. A Capitania dos Portos e o Corpo de Bombeiros também trabalhavam no resgate. Segundo moradores da região, no momento do acidente chovia forte em Paraty. "Eu não vi o momento do acidente só senti um cheiro muito forte de combustível. De onde estou, consigo ver o resgate. Tem uma pessoa tentando sair da aeronave que parece ser de pequeno porte", contou Rosália Ramos Lima, proprietária de uma pousada e restaurante da ilha.

A assessoria de comunicação da Infraero confirmou ao G1 que a aeronave prefixo PR-SOM, modelo Hawker Beechcraft King Air C90, decolou às 13h01 do Campo de Marte, em São Paulo (SP) com destino a Paraty. A aeronave é de pequeno porte e tem capacidade para oito pessoas.

O dono e operador da aeronave é o hotel Emiliano, segundo informações de abril de 2016 disponíveis no Registro Aeronáutico Brasileiro, documento divulgado pela Agência Nacional de Aviação Civil que reúne uma relação de todas as aeronaves brasileiras certificadas pela Anac. O G1 procurou a assessoria de imprensa do grupo Emiliano Empreendimentos e eles não tinham informações sobre o acidente.

Às 15h50, uma equipe do Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos) estava se dirigindo ao local para apurar as causas do acidente.

A população criminosa ligada à facção Primeiro Comando da Capital (PCC) já chega a 64% em todo o país. O crescimento dos "afiliados" para além de São Paulo é mostrada em dados do Ministério Público do estado, segundo o qual em outubro de 2014 havia 10 mil criminosos vinculados à facção fora do estado (26%), quando atualmente o número chega a 21,5 mil, ou 64%.

Em relação à população carcerária, o PCC já "batizou" 607 mil pessoas, 3,5% dos presos, o equivalente ao número total de funcionários da Volkswagen no Brasil, segundo a Folha. Uma das explicações para a expansão da facção pelo Brasil é a transferência de presos perigosos do grupo para outros estados.

Em 1998, numa tentativa de desarticular o movimento que ganhava força nos presídios paulistas, o Estado transferiu os "cabeças" para o Paraná, entre eles José Márcio Felício (o Geleião) e César Augusto Roris da Silva (o Cesinha).

Ambos incentivaram a criação do Primeiro Comando do Paraná, que mostrou sua face com três rebeliões. A circulação de Marcola, o principal chefe da facção, por várias unidades prisionais pode ter influenciado também. O líder do PCC esteve no Rio Grande do Sul, no Distrito Federal, em Goiás e Minas Gerais, disseminando a cartilha da facção.

Um cavalo comoveu a família e os amigos do vaqueiro paraibano Wagner Figueiredo de Lima, que morreu em um acidente de moto na madrugada do dia 1º de janeiro.

O animal foi levado para se despedir do dono - e ao ser colocado próximo ao veículo onde estava o corpo, deitou a cabeça sobre o caixão, um momento que chamou a atenção de todos que foram ao velório de Wagner de Lima.

O enterro do vaqueiro aconteceu na tarde desta terça-feira (3) na cidade de Cajazeiras, Sertão da Paraíba. “Esse cavalo era tudo para ele [Wagner], era como se o cavalo soubesse o que estava acontecendo e quisesse se despedir. Durante todo o trajeto até o cemitério ele relinchava e batia com as patas no chão”, disse Wando de Lima, irmão de Wagner. Wando teve a ideia de levar o cavalo para o enterro do irmão e organizou as homenagens junto com outros vaqueiros e amigos de Wagner.

Com a morte do irmão, Wando disse que vai assumir a responsabilidade de manter e cuidar de "Sereno". Segundo ele, o cavalo, que já estava há oito anos com Wagner vai ficar "para sempre" com a família.

Wagner de Lima Figueiredo tinha 34 anos e além de vaqueiro era funcionário da Prefeitura de Cajazeiras, no sertão da Paraíba. Wagner morreu na madrugada do dia 1º em um acidente de moto no estado do Rio Grande do Norte.

Ele estava sozinho na motocicleta no momento do acidente e chegou a ser socorrido para um hospital da cidade de Mossoró, onde passou por cirurgia, mas morreu.