Login to your account

Username *
Password *
Remember Me
Sábado, 07 Dezembro 2019
Muito Nublado

22°C

Condeúba

Muito Nublado

Umidade: 77%

Vento: 4 km/h



Condeúba completa 152 anos com muita história Destaque

Publicado por     |   09 Mai 2013
  |  

 

Tudo teve início através da Igreja Católica, sendo que a nossa primeira Igreja de Santo Antonio foi benta em 30 de junho de 1745 pelo o então Padre Visitador Geral: João de Vasconcelos Pereira. A primeira Irmandade fundada no município foi a de Santo Antonio em 13 de junho de 1752 que durou até o ano de 1811. Em 1845 foi fundada a Irmandade do Santíssimo Sacramento pelo Arcebispo da Bahia Dom Romualdo Antonio de Seixas, a qual permanece em atividade até os dias de hoje com cerca de 70 membros de confraria, seu presidente atual é o Sr. Anfilófio Antonio de Sousa, tendo como vice Dr. Anterque Ataíde Viana.


Vila de Santo Antonio da Barra


A Lei 809/1860 de 11 de junho de 1860 assinada por Antonio da Costa Pinto, presidente da Província da Bahia. Faço saber a todos os seus habitantes que a Assembléia Geral e Legislativa decretou e eu sancionei a Lei: seguinte: Artigo 1º - Fica elevada a povoação de Santo Antonio da Barra a categoria de Vila. Compreendendo os Distritos de São Felipe, Lage e Curraes Velhos sob a denominação de Vila de Santo Antonio da Barra, e gozando das prerrogativas outorgadas às demais Vilas da Província.


Fundação


Não se sabe ao certo quem foi o fundador de Condeúba. Alguns historiadores apontam JOÃO GONÇALVES DA COSTA, mas Dr. Tranquilino Leovigildo Torres o autor do livro “Memória Descriptiva do Município de Condeúba” desmente esta hipótese em documentos também históricos retirados do arquivo da Igreja Católica Matriz de Santo Antonio.


Origem e Emancipação


Condeúba vem do Tupy, na opinião de Teodoro Sampaio “Árvore de caracol ou dos frutos retorcidos”, ou “Pau de Candeia”, conforme aventou o professor Frederico Edelweiss.
Condeúba foi emancipada em 14 de maio de 1861, desta data até 13 de abril de 1890 o município foi administrado pela Câmara de Vereadores. Por tanto, neste ano de 2013, estará completando 152 anos de emancipação. Sua história política será contada a partir da sua emancipação, passando então pela Câmara administradora até chegar ao Barão José Egídio de Moura e Albuquerque seu 1º Intendente (nomeado) pelo Governo do Estado da Bahia, para o período de 14 de abril de 1890 a 14 de dezembro de 1892. Em seguida foi (eleito pelo colegiado) para substituí-lo, Te. Cel. Olympio Cordeiro da Silva, que comandou o município de 1893 a 1895. E até a presente data com o atual Prefeito José Augusto Ribeiro que terá sua gestão de 2013 a 2016.


Geografia


O município de Condeúba distante 642 quilômetros de Salvador, ligado por via rodoviária, sua população ficou acertada pelo IBGE em 16.888 habitantes, está localizada no sudoeste baiano, o município é predominantemente plano apenas montanhoso ao sul e oeste, com destaque especial para o Morro de Condeúba o mais elevado do município, visível a quilômetros de distancia sua altura é de mil metros. Os Rios que banham o município são: Rio Gavião, Rio Condeúba, Rio dos Morrinhos, Rio do Sítio, Rio do Alegre, Rio do Soberbo e o Córrego do Olho D’água. O Município é composto pela Sede, Distrito do Alegre e os Povoados: Feirinha, Mandassaia e Lagoinha. Limitando-se com os municípios de: Cordeiros, Piripá, Jânio Quadros, Guajeru, Jacaraci, Mortugaba e no Estado de Minas Gerais, com o município de São João do Paraíso.


Padroeiro – Santo Antonio


FOLCLORE – Folia de Santos Reis, - Senhor Morto, com procissão – Santo Antonio, com procissão, - Festas junina com fogueiras, - Bom Jesus com procissão, - Nossa Senhora Aparecida com procissão, entre outras.
História da Intendência
No decorrer de sua história político-administrativa, foi a partir de sua emancipação em 14 de maio de 1861. Desta data até 13 de abril de 1890 o Município foi administrado pela Câmara de Vereadores. Com a proclamação da República, o Governo do Estado da Bahia nomeou o Barão José Egídio de Moura e Albuquerque como seu 1º Intendente para governar o Município no período de 14 de abril de 1890 a 14 de dezembro de 1892. Então Condeúba passou a ser administrada por uma série de Intendentes (administradores eleitos por um colegiado), ou seja: foram l3 Intendentes que administraram nosso município, de 1890 a 1945, desta data até outubro de 2012 foram eleitos pelo voto popular 18 Prefeitos. Os Intendentes eram eleitos para um mandato em média de 4 anos, exceto aqueles que foram reeleitos para mais de um mandato e outros que tiveram os seus mandatos interrompidos. Os Prefeitos a exemplo dos Intendentes, mantiveram os mandatos de 4 anos com direito a uma reeleição, exceto os chamados mandatos tampões de dois anos que ocorreram. Segue relação de todos os Intendentes e Prefeitos que administraram Condeúba, com o seu respectivo período.


Intendentes


Foram 13 Intendentes ao todo sendo o Barão José Egídio de Moura e Albuquerque seu 1º Intendente nomeado pelo Governo do Estado da Bahia, para o período de 14 de abril de 1890 a 14 de dezembro de 1892. Te. Cel. Olympio Cordeiro da Silva, (eleitos pelo colegiado) 1893 a 1895. – Te. Cel. Amphilóphio Cezar Alves Pereira, 1896 a 1901. – Te. Cel. José Moreira Cordeiro, 1902 a 1903. – Te. Cel. José Antonio Torres, 1904 a 1907. – Cel. Gustavo de Oliveira Torres, 1908 a 1911. – Te. Cel. Manoel de Assis Ribeiro, 1912 a 1919. – Sr. João da Silva Torres, 1920 a 1923. Sr. Remigio José da Silva, 1924 a 1925. – Sr. Gustavo Fagundes de Lima, 1926 a 1929. Cap. Joaquim Mutti de Carvalho, 1930 a 1939. – Sr. Antonio Ferreira da Silva, 1940 a 1944. – Cap. Arlindo Alves Pereira, 1945. Foi interrompido o seu mandato de Intendente para dar início ao então novo sistema de eleger pelo voto direto os Prefeitos e Vereadores.


Prefeitos


Sendo o primeiro Prefeito eleito pelo voto direto e também o que mais tempo ficou na administração do município, 10 anos pela Intendência e 3 como Prefeito, totalizando 13 anos, foi o Cap. Joaquim Mutti de Carvalho, 1945 a 1947. – Osmar Alves de Souza, 1948 a 1950. – Dr. Parmênio Ferreira da Silva, 1951 a 1954. – Sr. Políbio Rodrigues de Carvalho, 1955 a 1958. – Sr. Antonio Andrade dos Santos, 1959 a 1962. – Sr. Osmar Alves de Souza, 1963 a 1966. – Antonio Andrade dos Santos, 1967 a 1970. – Sr. Antonio Farias Terêncio, 1971 a 1972. Foram 2 anos que ficou conhecido como mandato tampão. – Dário de Oliveira Lima, 1973 a 1976. – Sr. Antonio Farias Terêncio, 1977 a 1982. – Sra. Djalma Alves de Souza, 1983 a 1988. Até então, a primeira e única mulher que foi eleita Prefeita no município de Condeúba. – Dr. Marcolino Gonçalves da Silva Neto, - 1989 a 1992. – Dr. Antonio Farias Terêncio Filho, 1993 a 1996. – Dr. Marcolino Gonçalves da Silva Neto, 1997 a 2003. Faleceu no andamento do seu mandato e assumiu o Vice-Prefeito. Sr. José Maria Terêncio, em 23/01/2004. – Odílio Ribeiro da Silveira, 2005 a 2008, e 2009 a 2012. – José Augusto Ribeiro, 2013 a 2016.
Todos foram peças importantes dentro de um contexto político-administrativo da sua época. Um dos Intendentes de maior destaque na história de sua administração foi chamado de “patriótico”, o Sr. João da Silva Torres, de 1920 a 1923. Sendo o primeiro Intendente sem patente, quebrando assim uma hegemonia da tradição desencadeada desde quando se emancipou Condeúba em 1861. De início o Intendente Sr. João da Silva Torres, renovou em 50% o seu Conselho e fez muitas obras em toda extensão do município de Condeúba. Por ultimo foi o então Prefeito Odílio Ribeiro da Silveira, detentor de um recorde, fez mais de 200 obras em oito anos de mandato.


Filhos Ilustres


 Dr. Tranqüilino Leovigildo Torres, 1859 – 1896
Clemente Pereira – Foi o primeiro Regente da Orquestra Filarmônica Santa Cecília de Condeúba.
João Sacramento Neto, 1933 – 2007 Maestro da Orquestra Filarmônica Santa Cecília.
Personalidades
João Gonçalves da Costa, 1720 – 1820 (Fundador de Condeúba)
Padre Belarmino Silvestre Torres, 1829 – 1896  


Fontes consultadas: Jornal Folha de Condeúba. Torres, Dr. Tranqüilizo - Memória descritiva do Município de Condeúba. Documentos Oficiais da Igreja Católica. Sousa, Agnério Evangelista - Condeúba sua história e seu povo.

3 comentários

  • João Cordeiro de Andrade
    Link do comentário João Cordeiro de Andrade Domingo, 16 Abril 2017 02:07

    estou muito feliz por estas notas da terra de minha avó Aurezina Maria de Sousa Cordeiro filha do Tenente Marcolino Cordeiro da Silva meu bisavó. Vocês condeubenses dentre em breve estarei residindo nesta paraíso que o CRIADOR deixou neste torrão sertanejo

  • Danilo Silveira
    Link do comentário Danilo Silveira Segunda, 25 Maio 2015 19:35

    Não é só você Rita de Cássia, que tem orgulho do grande intendente João da Silva Torres, todos aqueles que tem memoria e leem sobre esse revolucionário, se enche de orgulho, mesmo não sendo parente, mas, por ter passado pelo comando do nosso município e com muito brilhantismo, pois em sua época as coisas eram mais ou menos ditatorial, não obstante que o Intendente João da Silva Torres democratizou o sistema, alterou e substituiu todos os conselheiros que lhe davam sustentação politicoadministrativa e fez a maior administração popular já existente até então em nosso município. João da Silva Torres, foi Intendente de 1920 à 1923, naquela época nosso município tinha uma população de 70 mil habitantes, era composto dos então Distritos: Mortugaba, Cordeiros, Piripá, Guajeru e Presidente Jânio Quadros. O mandato deste mito que se chama João da Silva Torres, só foi superado 72 anos depois pelo Prefeito Odílio Ribeiro da Silveira, que teve dois mandatos populares e construiu 200 obras significativas no Município, só que a população hoje está em torno dos 18 mil habitantes e sem aqueles Distritos que agora são emancipados.

  • Rita de Cássia Torres Santana Bulhões.
    Link do comentário Rita de Cássia Torres Santana Bulhões. Segunda, 25 Maio 2015 11:13

    Tenho muita honra de ser neta do ilustre intendente Sr. João da Silva Torres e fazer parte da família Torres , a qual contribuiu muito para o crescimento de Condeúba deixando em pouco tempo de governo um legado imenso nessa cidade.
    Quando comento sobre meu avô, a qual não tive o prazer de conhecer os olhos enchem de lagrimas, pela forma que foi a sua morte. A cidade parou naquele dia, pela perca do Grande Homem, comerciante, esposo, pai e politico. Grandes obras foram feitas na sua gestão e o mais importante é saber que o seu legado era a Honestidade e o Trabalho, raridade nos nossos tempos.
    Viva Condeúba pelos seus 152 anos e feliz em saber que a Família Torres faz parte dessa História.

    Parabéns Condeúba!!!

    Rita de Cássia Torres Santana Bulhões.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.