Login to your account

Username *
Password *
Remember Me
Sexta, 21 Setembro 2018
31°C

Condeúba

Predominantemente nublado Humidade: 30%
Vento: ENE22.53 km/h

Na última sexta-feira, dia 21, dois presos fugiram da delegacia de polícia de Condeúba, durante a madrugada. Os detentos conseguiram subir até o teto da carceragem, arrombaram uma grade de proteção e empreenderam fuga.

Já na manhã dessa terça-feira (25), um terceiro detendo aproveitou do banho de sol e da grade que foi danificada e não havia sido consertada para fugir. As polícias estão em busca dos detentos mas não há ainda nenhuma informação.

No início da manhã dessa terça-feira, 25, o vereador e prefeito eleito nesse processo de 2016, Silvan Baleeiro, comunicou através da sua página no Facebook que buscará os meios judiciais para que sejam garantidos os 200 dias letivos em Condeúba.

 

Pela Lei de Diretrizes e Bases (LDB), que regulamenta a Educação no Brasil, as escolas devem cumprir pelo menos 200 dias letivos anuais, distribuídos em dois semestres. Porém, em Condeúba, essa lei é ignorada pela atual gestão.

Nesse ano de 2016, até o dia de hoje foram 156 dias "letivos", contabilizando sábados trabalhados e reunião de pais e alunos, o que nem sempre refere-se a atividade letiva propriamente dita. 

Um dia letivo é aquele programado para aula, não importa a quantidade de alunos presentes. Ainda que haja um número reduzido de estudantes, ou apenas um, em sala de aula, o professor deve dar o conteúdo previsto e as pessoas ausentes levam falta. "A turma presente tem direito à atividade agendada", afirma Maria Eveline, coordenadora geral de Ensino Médio da Secretaria de Educação Básica do Ministério da Educação e Cultura (MEC).

Em contato com a nossa redação, Silvan colocou que alertou a população sobre as obras iniciadas às vésperas da eleição sem planejamento orçamentário, que poderia vir a comprometer serviços básicos do município, que pode ser o motivo da antecipação do encerramento das aulas, ocasionando prejuízos aos alunos. "A prova agora está ai, já reduziram o quadro de funcionários da saúde e vão ignorar a LDB, antecipar as aulas e comprometer até o trabalho dos professores que estavam programados para encerrar suas atividades em Dezembro. Já reuni toda a documentação e vou procurar as esferas judiciais para que obrigue o prefeito a cumprir pelo menos o que lhe é obrigação, nossos alunos não podem pagar essa conta."

Calendário letivo aprovado pelo conselho de educação, com programação até dezembro:

 

Um homem de vida simples, nascido na zona rural de Condeúba, filho de José Antônio da Silveira e Palmira Maria da Silveira. Viveu sua infância sofrida, sem qualquer luxo, desde pequeno tendo que trabalhar para ajudar no trabalho de cuidado das criações e da agricultura, com o seu pai. 

Ainda jovem, rumou-se para a capital paulista, seguindo o forte êxodo da década de 1970-1980, que alimentava o sonho dos jovens condeubenses por melhores condições de vida. Na capital, trabalhou em algumas firmas, conseguiu com muito afinco reunir algum capital até que fosse possível retornar à sua terra e constituir família. Uma das conquista que conseguiu com o seu trabalho na capital, segundo ele relata, foi uma linha telefônica, que custava algumas centenas de cruzeiros e que usava para se comunicar com os parentes e amigos na Bahia. Outra conquista, após alguns anos de trabalho foi um fusca, que servia para se locomover de casa para o trabalho.

Um fato curioso da sua passagem pela capital, já quando se preparava para retornar para a Bahia, é que com o dinheiro originado da venda da dita linha telefônica, foi possível custear um transplante de córnea e ainda sobrou recurso suficiente para auxiliar nos custos da viagem de retorno - como os tempos mudam.

De volta na Bahia, ele conheceu, namorou e se casou com Marinalda Batista de Oliveira Silveira (Naná), em um casório que uniu dois sobrenomes notáveis da sociedade condeubense - Silveira e Batista. Além do casamento, no seu retorno concluiu os estudos no tradicional curso de contabilidade da época.

Inevitavelmente, com o seu espírito de liderança aflorado, um coração sempre aberto a acolher e auxiliar as pessoas nos seus problemas, a sua forma séria e honesta de agir, foi logo aclamado para uma candidatura, quando iniciou-se na vida pública. Foram 3 mandatos de vereador, 3 mandatos de presidente do sindicado dos trabalhadores rurais e 2 como prefeito da cidade. Segundo ele, houve resistência no início para aceitar a candidatura, principalmente por nunca ter passado pela sua cabeça em engajar-se na vida pública, mas depois cedeu aos vários pedidos de parentes e amigos.

Ao lado do vereador à época, Capitão César, fez uma dura oposição ao governo do então prefeito Marcolino Neto, cumprindo rigorosamente o seu papel de fiscalizador do poder executivo. Com o falecimento precoce do líder da oposição, Dr. José, ele teve que interromper o seu projeto de vereador para candidatar-se à vaga do executivo municipal, faltando apenas 90 dias para as eleições, onde disputaria com Marcolino.

Sem tempo e sem recursos para enfrentar o adversário, foi derrotado, mas conseguiu eleger sua esposa Marinalda, como vereadora e apoiá-la na vitoriosa disputa pela presidência da câmara na época, gestão que deixou como principal legado para a casa legislativa a aquisição da sede, que era alugada. 

Passados os 4 anos após sua primeira disputa, retornou às eleições, dessa vez disputando contra Antônio Terêncio Filho, de onde conseguiu ter uma votação que somou o maior número de votos já obtidos por um candidato a prefeito até aquela época. Dessa vitória conseguiu fazer uma gestão notável, sagrou sucesso na sua reeleição e entregou à população condeubense mais de 240 obras, que em sua grande parte custeada com recursos próprios do município.

Mas não foi só sua trajetória política que ainda o faz ser reconhecidamente uma das maiores lideranças do município, mas a sua paciência em saber ouvir cada condeubense; sua solicitude; disponibilidade; carinho para ajudar cada cidadão. Um homem sem vaidades, que ainda considera a palavra um documento e tem como maior patrimônio a sua trajetória de vida, pautada no bom caráter e no respeito ao próximo

Foi exatamente há 68 anos atrás, em 21 de outubro de 1948, que nascia Odílio Ribeiro da Silveira. Feliz aniversário, pai!

 

Algumas horas após uma matéria denunciando a situação de atraso dos salários de funcionários contratados da prefeitura municipal de Condeúba, o portal responsável pela publicidade da gestão anunciou o pagamento dos vencimentos, que devem estar disponíveis para saque amanhã (21 de outubro).

Apesar do anuncio do pagamento dos salários, a prefeitura não se manifestou com relação a obras paradas no município, que também foi alvo de denuncia da matéria.

A gestão de Guto se aproximou desse ano eleitoral figurando total saúde financeira, mesmo no período de crise que o país enfrenta. Obras foram iniciadas para todos os lados da cidade, promessas em campanha e a tentativa de vender aos condeubenses uma esperança que foi retirada ao longo dos anos da sua gestão, a esperança por uma cidade melhor.

Com o término do período eleitoral, logo veio à tona a real situação financeira do município, totalmente incoerente com aquela "vendida" nos meses antecedentes às eleições.

Com salários de funcionários contratados atrasados e um pacote de maldades entregue à população através do decreto nº 66/2016, José Augusto terminará o seu governo deixando uma grande desilusão para a cidade, quando mesmo ganhando uma eleição com uma frente histórica, porém também historicamente, tendo o seu projeto de reeleição frustado pelo povo, devido a ausência de resultados.

Nesse decreto, o prefeito institui medidas amargas, como exoneração de funcionários, proíbe qualquer tipo de aumento ou pagamento de horas extras, proíbe a criação de cargo, função e até mesmo empregos. O mais curioso inclusive, é que o primeiro projeto de lei do prefeito foi exatamente para criação de cargos.

Todo esse cenário foi alertado na Câmara de Vereadores pela oposição ao seu governo, informando que não se poderia manter uma gestão saudável com a criação de tantos cargos. No final, as obras que se iniciaram do dia para a noite, que segundo criticou vereadores, sem qualquer planejamento, podem ficar pelo meio do caminho, sem conclusão, a exemplo da Praça Santo Antônio.

Circula pelos bastidores que a consequência dessa falta de planejamento afetará até a educação e saúde. No Hospital, a redução de quadro de funcionários agrava ainda mais a precária situação do atendimento à população e na educação, já ouve-se falar que todas as atividades da pasta devem terminar em novembro, mesmo tendo sido planejado e aprovado pelo conselho municipal de educação para dezembro. Professores já estão preocupados com o prejuízo que o alunado terá com essa medida, caso se concretize.

Veja o pacote de maldades completo:

 

Eleitores se reuniram no último sábado (15) em Condeúba, em mais uma festa de comemoração pela vitória do vereador Silvan Baleeiro na disputa pela prefeitura de Condeúba. A iniciativa da festa partiu dos apoiadores do vereador e futuro prefeito, que se reuniram, juntaram doações e organizaram o evento.

As bandas Ney Brandão, Walysson Silva e Trio Kapú de Fusca animaram as mais de 3500 pessoas que marcaram presença.

O deputado estadual Pedro Tavares (PMDB) solicitou, por meio de indicação à Secretaria de Segurança Pública da Bahia, o aumento do contingente policial na cidade de Condeúba, a 660 km de Salvador. O município conta com uma população de mais de 18 mil habitantes e não possui nenhum delegado da Polícia Civil.

Por isso, no mesmo documento, o parlamentar solicitou a nomeação de um delegado e ressaltou que a falta de segurança pública tem se tornado um dos grandes problemas da região. "Levando-se em consideração a importância que a região apresenta e por não contar com uma força policial ativa e cotidiana, a cidade atualmente apresenta alarmantes índices de criminalidade, além do crescente tráfico de drogas. Além do aumento do efetivo policial, o município necessita que seja feita a nomeação de um delegado, para que haja a devida estruturação da polícia local", frisou o peemedebista.