Login to your account

Username *
Password *
Remember Me
Terça, 11 Dezembro 2018
21°C

Condeúba

Predominantemente nublado Humidade: 88%
Vento: E12.87 km/h
×

Atenção

JUser: :_load: Não foi possível carregar usuário com ID: 42

É Excelência! Tudo precisa treino, alem do conhecimento de causa que o tem, todos nós sabemos disso, pois, o seu codinome “Maurição da Carreta”, já diz tudo que é portador de uma CNH categoria “E”, que o habilita a dirigir carreta, o qual está sempre em serviço cortando o nosso Brasil de norte a sul, leste a oeste.

Nesta sexta-feira 24/6, dia de sessão na Câmara Municipal, o vereador “Maurição” tomou um show de uma carreta vermelha “bitrem”, que estava carregada com 70 toneladas de brita vindo de Vitória da Conquista para Condeúba, direcionada à loja de material de construção do amigo Geraldo Medeiros. A localidade do descarregamento é um tanto quanto apertada para uma carreta, imaginem um “bitrem”! Pois é, “Maurição” se enrolou todo, alem de enrolar o transito por onde passava, tentando entrar no local de descarga, depois de várias tentativas em vão, o nobre carreteiro vereador que é muito sábio, ouviu o conselho de um “matuto” dirigiu-se ao antigo campo de avião desengatou um vagão e entrou com apenas um por vez, para processar o descarregamento das britas. Que alívio para os vizinhos! Que viam seus muros balançando a cada manobra mal sucedida do nobre Edil no comando daquele enorme “bitrem”. Tudo certo, “Maurição”, você pode acrescentar no seu currículo e falar lá fora, que dirige carreta “bitrem” inclusive em Condeúba.  

 

Vem aí a Primeira Conferência Municipal de Educação

DATA: 01.06.2013, horário: das 08.00 às 14.00h.

LOCAL: Quadra Poliesportiva do Alcides Cordeiro

TEMA: O PNE na Articulação do Sistema Nacional de Educação: Participação Popular, Cooperação Federativa e Regime de Colaboração.

PALESTRANTE PRINCIPALl: Mestra Maura da Silva Miranda

Você é nosso convidado, participe. Uma oportunidade de se discutir problemas educacionais locais.

Comissão Organizadora

COORDENADOR: Prof. Agnério de Sousa.

 Por: Anterque Viana

As festividades relativas aos 152 anos de emancipação política de Condeúba foram marcadas, entre outras, pela realização da primeira Exposição Agropecuária, a Expocon.

Com a estrutura montada pelo Executivo municipal, o Parque de Exposição, erguido próximo à praça Dr. Marcolino Neto, propiciou aos cidadãos condeubenses e visitantes a oportunidade de apreciar e adquirir vários animais provenientes dos municípios de Condeúba, Piripá, Cordeiros e outros, expostos em 52 baias.

Era evidente a expressão de satisfação da maioria dos visitantes, adultos e crianças, a alegria e admiração, não só pela boa estrutura ofertada na 1ª Expocon, mas também pela qualidade dos animais expostos.

No espaço do Parque de Exposição também foi montado um estande para expor plantas, flores e árvores nativas, o que abrilhantou ainda mais o evento.

No domingo dia 19 de maio, foi realizada a cavalgada, que contou com a participação de aproximadamente 800 cavaleiros e amazonas, devidamente uniformizados com uma linda camisa comemorativa, dentre eles várias personalidades e autoridades como Mão Branca, o Prefeito José Augusto Ribeiro, o Vereador Maurísio (“Maurição da Carreta”) etc.

Todos os participantes ficaram extasiados com a cavalgada, contagiando também um enorme número de populares os quais acompanharam literalmente a Cavalgada em seus automóveis e motocicletas por todo o percurso.

E para arrematar aquele momento ímpar, nada melhor que a deliciosa feijoada servida fartamente para todos na quadra poliesportiva Antonio Andrade localizada no Bairro do Divino. Finalizando o evento, no período vespertino foram realizadas as provas de tambor, marcha curta, marcha larga e argolinha, todas elas acompanhadas por numerosa platéia de populares e admiradores, que deliraram com as apresentações e com o alto nível demonstrado nas provas pelos competidores.

O 152º aniversário entrará para a história de Condeúba, não só pela realização da primeira Exposição Agropecuária em nosso município, mas também pela qualidade do evento em si. De fato Condeúba completou mais um aniversário, mas nós cidadãos condeubenses recebemos um belo presente. Parabéns Condeúba!!!!

        

 


Condeúba completou 152 anos de emancipação política no dia 14 de maio de 2013, como sempre tenho dito com muita história, desta vez não foi diferente, pois, todos aqueles que estiveram nas praças onde ocorreram as apresentações e desfiles, puderam presenciar a verdadeira história de Condeúba sendo recontada em verso e prosa através das escolas do município que se dividiram em quatro grupos formados por professores, alunos e mesclado com pessoas da sociedade civil, cujos grupos, identificaram pelas cores da Bandeira do Brasil assim constituídos:
    Amarela defendendo o tema de “Botocudos”, em referencia a tribo indígena que aqui foi encontrado no inicio da fundação do Município.
      Azul com o tema “Guerreiros da Barra”, tema este em alusão aos desbravadores que tanto lutaram pela independência de Santo Antonio da Barra, primeiro nome dado a Condeúba.
     Branco com o tema “Têtê para vencer”. Este se refere ao Sr. João Antonio dos Santos que ficou conhecido como “Têtê”, personagem folclórico da cidade falecido recentemente.
   Verde com o tema “Quilombolas”. Desta feita foi homenageada a Comunidade do Tamboril, onde existe uma Comunidade Quilombolas reconhecida pelo Governo Federal, a qual foi vencedora e com muito mérito, tendo em vista o reconhecimento do importantíssimo papel que os negros têm desenvolvido ao longo da história em nosso município.            
      Desde inicio do mês de maio que os grupos vinham cumprindo tarefas determinadas pela organização do evento. No dia 13 a noite foi feito as primeiras apresentações dos grupos na Praça do Forrodromo com o tema musical onde cada grupo executou um ritmo musical que foram: Amarelo/Arrocha, Azul/Axé, Branco/Forró e Verde/Sertanejo. Deste momento até o dia seguinte, todas as tarefas executadas pelas equipes, foram submetidas à avaliação com notas de um corpo de jurados composto de sete membros constituídos pelos Organizadores do Evento.
     Depois do grande show musical que os grupos apresentaram a noite, as equipes receberam da Comissão Organizadora tarefas para o dia seguinte serem apresentadas inicialmente das 8h00 ás 10h00 na Praça Santo Antonio e por último em frente ao prédio da antiga Intendência, que foi das 10h30 ás 13h30 minutos. Na oportunidade, os grupos começaram a desfilar contando história de personagens da terra vivos e mortos.
      AMARELA – Com o tema “Botocudos” trouxe a baila as historias de “Dorinho” e Maria Leá.
      AZUL – Com o tema “Guerreiros da Barra”, contaram as histórias do empresário “Zabinga” e Jasmira Cangussu.


      “ZABINGA” Aos 19 dias de novembro de 1956 nasceu na fazenda Grota, em Condeúba, Divaldir Farias da Silva, popular “Zabinga” filho de Arlindo Farias da Silva e Aurezina Ribeiro da Silva, família humilde veio morar na cidade com 3 anos de idade, estudou até a 5ª série. “Zabinga” aos 7 anos já comercializava nas feiras livres laranjas, cereais e outros gêneros, aos 17 anos adquiriu seu primeiro veículo, uma rural ano 1973 e passou a trabalhar como pracista e levando passageiros para Conquista.
      Mais tarde comprou seu primeiro caminhão, começou viajando aos estados da Bahia, São Paulo e Maranhão, no final de 1985, abriu seu primeiro comércio no ramo de supermercado. No ano seguinte casou-se com Tânia Maria Porto, dessa união, nasceram suas três filhas: Ana Carolina, Lorena e Isabela. “Zabinga” atua no ramo de supermercados, padaria, loja de móveis e posto de combustíveis.  Ele que é católico e devoto de Nossa Senhora Aparecida.


     JASMIRA – Aos 10 dias de julho de 1911. Nasceu no limite de Jacaraci  e Caculé, Jasmira Rosa Cangussu, filha de Tranquilino José Ribeiro e Anagélica Pinheiro Cangussu. A qual vivenciou a passagem dos revoltosos em nossa cidade, sendo a casa de seu pai um dos lares invadidos por eles. Ainda muito jovem Jasmira casou-se com Sérgio Rodrigues Chaves, ele que era tropeiro e comerciante rural.
     O casal teve apenas 01 filho biológico, Valdomiro Rodrigues Chaves, porém, adotaram 10 filhos. Jasmira sempre muito católica, começou cedo a costurar, bordar, fazer rendas, confeccionar bonecas. Fazia tudo com muita alegria e simpatia sua marca registrada era mandar beijos para todos.


      BRANCA – Com o tema “Têtê para Vencer”, trouxe as histórias do empresário “Dalminho” e “Têtê” este personagem folclórico da cidade já falecido. Quem fez o papel de Tetê, foi a vereadora Rita Aparecida Soares “Cida de Lerim”, que com muito empenho arrancou da platéia risos e até choro, sendo premiada como a melhor interprete dos quatro grupos merecidamente.


    JOÃO ANTONIO DOS SANTOS – Mais conhecido como Tetê, nasceu no dia 04/10/1947 na Rua do Sobrado em Condeúba/Ba e faleceu no dia 08/04/2013 aos 64 anos, era filho de Otaviano Antônio dos Santos e Ana Pereira Duarte, ele tinha quatro irmãos. Esse seu jeito extrovertido de ser vem desde a infância e após a morte de seus pais este foi morar com o irmão Custódio, sendo que após essa fatalidade se entregou ao vício da bebida. Mas mesmo assim, continuou trabalhando com hortas, estercos e foi sempre humilde. Conseguia se manter só com a renda de seu trabalho até quando se aposentou. Seu jeito de ser foi provavelmente um problema no parto.
Costumava engrossar a voz para causar risos, principalmente às crianças. Em novembro adoeceu e mesmo doente era muito vaidoso, gostava de pintar o cabelo e deixar o topete caído na testa estilo pega rapaz. Uma de suas celebre frases foi: “Mim dá um fio de cabelo pra mim fazer uma póruca”?


     DALMO FARIAS DA SILVA – "Dalminho" nasceu em 08 de junho de 1967, na cidade de Condeúba/BA. Filho do senhor Arlindo Faria da Silva e da senhora Aurezina Ribeiro da Silva. É o 8º filho de 14 irmãos.
 Viveu a sua infância em meio a um comércio ambulante. Tentava estudar, mas nos momentos de intervalo vendia geladinho e picolé produzido por ele mesmo, alem de doce, saco de esterco para as pessoas colocarem em plantas; quebrava pedras, transformando-as em britas e vendia, assim como, recolher os restos de cereais no caminhão e armazém de seu pai para vender. Dificilmente tinha momentos vagos para brincar, pois, quando não estava em meio às suas vendas, dedicava-se a olaria com os amigos, na construção de tijolos. Pela manhã, freqüentava a escola e a tarde a olaria.

     Aos 12 anos iniciou a vender laranja e café. Para comprar outras mercadorias, solicitou de um empréstimo do Sr. Juvêncio (avô de Laércio Sousa). Onde ouvia falar que tinha jogo, estava ele vendendo suas laranjas.
Com 25 anos de idade, em 12 de fevereiro de 1992, nasce o seu primogênito Dalmo Faria da Silva Filho,
Aos 26 dias de março de 1992 casou-se com Dorismácia da Silva Carvalho Faria. Em seguida passou por uma crise financeira profunda. Católico e temente a Deus aos poucos foi restituindo tudo que perdeu antes.
Em 20 de abril de 1999 nasceu sua filha Dayana da Silva Carvalho Faria. Segundo o próprio Dalmo, “quando agente é solteiro as pessoas mais importantes da nossa vida, são os pais, depois de casado a esposa e os filhos se tornam as pessoas principais da nossa vida”.


      VERDE – Com o tema “Quilombolas” veio com as histórias da empresaria Elita e o popular Santo de João Cruz.
     ELITA – A empresária Elita Pereira da Silva, sendo a 20ª filha de uma família composta de 27 irmãos, começou a sua labuta muito nova no ramo de biscoitos, iniciou vendendo de terceiros e depois montou sua própria indústria que é a grande fabrica de Biscoitos Condeúba. Elita desfilou num furgão trazendo biscoitos, salgados, doces e lógico o bolo de aniversário que foi distribuído para todos que ali estavam.


     "SANTO" – Ademar Pereira da Cruz, popular “Santo de João Cruz”, filho, do casal João da Cruz e Odília Correia Cruz, nasceu em Condeúba aos 20 de novembro de 1959. Embora fizesse parte de uma das famílias elitizadas de nossa cidade, sempre teve em seu coração uma paixão pela filosofia da vida periférica, e que o tornou uma figura emblemática de nossa cidade. Como todo jovem condeubense de sua época, Santo também adorava um bom futebol.
Primeiro como arbitro, com pouca técnica, mas com muita valentia “Santo” apitou e bandeirou muitas das partidas do futebol condeubense. Como jogador, “Santo” chegou a defender uma das maiores equipes de sua época União Futebol Clube. “Santo” foi um dos idealizadores da criação de um dos times emblemáticos de nossa cidade o Vira Copo Futebol Clube.


          Contudo entendemos que a grande vencedora neste evento mais uma vez foi Condeúba, que ganhou com isto, novos horizontes em sua história, tornando-a cada vez mais rica pelos novos personagens descobertos e encenados.

Foto: Ddez

No fim da manhã do último sábado (11) a Caesg realizou uma operação na cidade de Condeúba que resultou na apreensão de duas motocicletas que podem ter sido roubadas na cidade.

Os veículos estavam com o chassi pinado. As motocicletas foram abandonadas em via pública. As motos foram apresentadas na Delegacia de Polícia de Condeúba.

 

Tudo teve início através da Igreja Católica, sendo que a nossa primeira Igreja de Santo Antonio foi benta em 30 de junho de 1745 pelo o então Padre Visitador Geral: João de Vasconcelos Pereira. A primeira Irmandade fundada no município foi a de Santo Antonio em 13 de junho de 1752 que durou até o ano de 1811. Em 1845 foi fundada a Irmandade do Santíssimo Sacramento pelo Arcebispo da Bahia Dom Romualdo Antonio de Seixas, a qual permanece em atividade até os dias de hoje com cerca de 70 membros de confraria, seu presidente atual é o Sr. Anfilófio Antonio de Sousa, tendo como vice Dr. Anterque Ataíde Viana.


Vila de Santo Antonio da Barra


A Lei 809/1860 de 11 de junho de 1860 assinada por Antonio da Costa Pinto, presidente da Província da Bahia. Faço saber a todos os seus habitantes que a Assembléia Geral e Legislativa decretou e eu sancionei a Lei: seguinte: Artigo 1º - Fica elevada a povoação de Santo Antonio da Barra a categoria de Vila. Compreendendo os Distritos de São Felipe, Lage e Curraes Velhos sob a denominação de Vila de Santo Antonio da Barra, e gozando das prerrogativas outorgadas às demais Vilas da Província.


Fundação


Não se sabe ao certo quem foi o fundador de Condeúba. Alguns historiadores apontam JOÃO GONÇALVES DA COSTA, mas Dr. Tranquilino Leovigildo Torres o autor do livro “Memória Descriptiva do Município de Condeúba” desmente esta hipótese em documentos também históricos retirados do arquivo da Igreja Católica Matriz de Santo Antonio.


Origem e Emancipação


Condeúba vem do Tupy, na opinião de Teodoro Sampaio “Árvore de caracol ou dos frutos retorcidos”, ou “Pau de Candeia”, conforme aventou o professor Frederico Edelweiss.
Condeúba foi emancipada em 14 de maio de 1861, desta data até 13 de abril de 1890 o município foi administrado pela Câmara de Vereadores. Por tanto, neste ano de 2013, estará completando 152 anos de emancipação. Sua história política será contada a partir da sua emancipação, passando então pela Câmara administradora até chegar ao Barão José Egídio de Moura e Albuquerque seu 1º Intendente (nomeado) pelo Governo do Estado da Bahia, para o período de 14 de abril de 1890 a 14 de dezembro de 1892. Em seguida foi (eleito pelo colegiado) para substituí-lo, Te. Cel. Olympio Cordeiro da Silva, que comandou o município de 1893 a 1895. E até a presente data com o atual Prefeito José Augusto Ribeiro que terá sua gestão de 2013 a 2016.


Geografia


O município de Condeúba distante 642 quilômetros de Salvador, ligado por via rodoviária, sua população ficou acertada pelo IBGE em 16.888 habitantes, está localizada no sudoeste baiano, o município é predominantemente plano apenas montanhoso ao sul e oeste, com destaque especial para o Morro de Condeúba o mais elevado do município, visível a quilômetros de distancia sua altura é de mil metros. Os Rios que banham o município são: Rio Gavião, Rio Condeúba, Rio dos Morrinhos, Rio do Sítio, Rio do Alegre, Rio do Soberbo e o Córrego do Olho D’água. O Município é composto pela Sede, Distrito do Alegre e os Povoados: Feirinha, Mandassaia e Lagoinha. Limitando-se com os municípios de: Cordeiros, Piripá, Jânio Quadros, Guajeru, Jacaraci, Mortugaba e no Estado de Minas Gerais, com o município de São João do Paraíso.


Padroeiro – Santo Antonio


FOLCLORE – Folia de Santos Reis, - Senhor Morto, com procissão – Santo Antonio, com procissão, - Festas junina com fogueiras, - Bom Jesus com procissão, - Nossa Senhora Aparecida com procissão, entre outras.
História da Intendência
No decorrer de sua história político-administrativa, foi a partir de sua emancipação em 14 de maio de 1861. Desta data até 13 de abril de 1890 o Município foi administrado pela Câmara de Vereadores. Com a proclamação da República, o Governo do Estado da Bahia nomeou o Barão José Egídio de Moura e Albuquerque como seu 1º Intendente para governar o Município no período de 14 de abril de 1890 a 14 de dezembro de 1892. Então Condeúba passou a ser administrada por uma série de Intendentes (administradores eleitos por um colegiado), ou seja: foram l3 Intendentes que administraram nosso município, de 1890 a 1945, desta data até outubro de 2012 foram eleitos pelo voto popular 18 Prefeitos. Os Intendentes eram eleitos para um mandato em média de 4 anos, exceto aqueles que foram reeleitos para mais de um mandato e outros que tiveram os seus mandatos interrompidos. Os Prefeitos a exemplo dos Intendentes, mantiveram os mandatos de 4 anos com direito a uma reeleição, exceto os chamados mandatos tampões de dois anos que ocorreram. Segue relação de todos os Intendentes e Prefeitos que administraram Condeúba, com o seu respectivo período.


Intendentes


Foram 13 Intendentes ao todo sendo o Barão José Egídio de Moura e Albuquerque seu 1º Intendente nomeado pelo Governo do Estado da Bahia, para o período de 14 de abril de 1890 a 14 de dezembro de 1892. Te. Cel. Olympio Cordeiro da Silva, (eleitos pelo colegiado) 1893 a 1895. – Te. Cel. Amphilóphio Cezar Alves Pereira, 1896 a 1901. – Te. Cel. José Moreira Cordeiro, 1902 a 1903. – Te. Cel. José Antonio Torres, 1904 a 1907. – Cel. Gustavo de Oliveira Torres, 1908 a 1911. – Te. Cel. Manoel de Assis Ribeiro, 1912 a 1919. – Sr. João da Silva Torres, 1920 a 1923. Sr. Remigio José da Silva, 1924 a 1925. – Sr. Gustavo Fagundes de Lima, 1926 a 1929. Cap. Joaquim Mutti de Carvalho, 1930 a 1939. – Sr. Antonio Ferreira da Silva, 1940 a 1944. – Cap. Arlindo Alves Pereira, 1945. Foi interrompido o seu mandato de Intendente para dar início ao então novo sistema de eleger pelo voto direto os Prefeitos e Vereadores.


Prefeitos


Sendo o primeiro Prefeito eleito pelo voto direto e também o que mais tempo ficou na administração do município, 10 anos pela Intendência e 3 como Prefeito, totalizando 13 anos, foi o Cap. Joaquim Mutti de Carvalho, 1945 a 1947. – Osmar Alves de Souza, 1948 a 1950. – Dr. Parmênio Ferreira da Silva, 1951 a 1954. – Sr. Políbio Rodrigues de Carvalho, 1955 a 1958. – Sr. Antonio Andrade dos Santos, 1959 a 1962. – Sr. Osmar Alves de Souza, 1963 a 1966. – Antonio Andrade dos Santos, 1967 a 1970. – Sr. Antonio Farias Terêncio, 1971 a 1972. Foram 2 anos que ficou conhecido como mandato tampão. – Dário de Oliveira Lima, 1973 a 1976. – Sr. Antonio Farias Terêncio, 1977 a 1982. – Sra. Djalma Alves de Souza, 1983 a 1988. Até então, a primeira e única mulher que foi eleita Prefeita no município de Condeúba. – Dr. Marcolino Gonçalves da Silva Neto, - 1989 a 1992. – Dr. Antonio Farias Terêncio Filho, 1993 a 1996. – Dr. Marcolino Gonçalves da Silva Neto, 1997 a 2003. Faleceu no andamento do seu mandato e assumiu o Vice-Prefeito. Sr. José Maria Terêncio, em 23/01/2004. – Odílio Ribeiro da Silveira, 2005 a 2008, e 2009 a 2012. – José Augusto Ribeiro, 2013 a 2016.
Todos foram peças importantes dentro de um contexto político-administrativo da sua época. Um dos Intendentes de maior destaque na história de sua administração foi chamado de “patriótico”, o Sr. João da Silva Torres, de 1920 a 1923. Sendo o primeiro Intendente sem patente, quebrando assim uma hegemonia da tradição desencadeada desde quando se emancipou Condeúba em 1861. De início o Intendente Sr. João da Silva Torres, renovou em 50% o seu Conselho e fez muitas obras em toda extensão do município de Condeúba. Por ultimo foi o então Prefeito Odílio Ribeiro da Silveira, detentor de um recorde, fez mais de 200 obras em oito anos de mandato.


Filhos Ilustres


 Dr. Tranqüilino Leovigildo Torres, 1859 – 1896
Clemente Pereira – Foi o primeiro Regente da Orquestra Filarmônica Santa Cecília de Condeúba.
João Sacramento Neto, 1933 – 2007 Maestro da Orquestra Filarmônica Santa Cecília.
Personalidades
João Gonçalves da Costa, 1720 – 1820 (Fundador de Condeúba)
Padre Belarmino Silvestre Torres, 1829 – 1896  


Fontes consultadas: Jornal Folha de Condeúba. Torres, Dr. Tranqüilizo - Memória descritiva do Município de Condeúba. Documentos Oficiais da Igreja Católica. Sousa, Agnério Evangelista - Condeúba sua história e seu povo.

Foi realizada na sexta-feira (dia 26) a eleição para o cargo de Conselheiro, do Conselho tutelar. No mesmo dia foi feita a contagem de votos e os conselheiros eleitos deverão ficar no mandato até janeiro de 2016 quando ocorrerá uma nova eleição. Confira abaxo os resultados.

1º lugar  Luiz José Pereira – 439 votos ( reeleito)

2º lugar  Maria da Conceição Pereira da Silva – 343 votos

3º lugar  Andréia Laula de sousa Malta – 229 votos

4º lugar  Domingas Lima Guimarães – 229 votos

5º lugar  Dazinha da Silva Neres – 217 votos

6º lugar  Madson Faris de Azevedo – 207 votos ( Suplente)

7º lugar Emanoela Campos Lima – 182 votos ( Suplente)

8º lugar Simone flores Alves -  180 votos ( suplente)