Login to your account

Username *
Password *
Remember Me
Sexta, 13 Dezembro 2019
Claro

22°C

Condeúba

Claro

Umidade: 65%

Vento: 10 km/h



Entrevista no Roda Viva: “jamais apoiei o golpe”, diz Michel Temer sobre impeachment de Dilma Rousseff

Publicado por     |   17 Set 2019
  |  
Entrevista no Roda Viva: “jamais apoiei o golpe”, diz Michel Temer sobre impeachment de Dilma Rousseff
Foto: Reprodução | TV Cultura

Em entrevista ao programa Roda Viva, da TV Cultura, na noite desta segunda-feira (16), o ex-presidente Michel Temer afirmou que “não apoiou o golpe”, referindo-se ao impeachment de Dilma Rousseff, em 2016. De acordo com o emedebista, um telefonema feito pelo também ex-presidente Lula mostra como ele não era “adepto do golpe”. “Jamais apoiei ou fiz empenho pelo golpe […] O Lula pleiteava trazer o PMDB para impedir o impeachment e eu tentei. Mas, à esta altura, confesso, que a movimentação popular era tão grande, tão intensa, que os partidos já estavam mais ou menos vocacionados para a ideia do impedimento”, disse ele. “Apenas assumi a presidência da República pela via, não só constitucional, como eleitoral porque quando a senhora ex-presidente foi eleita, eu também fui eleito”, completou. O telefonema citado por Temer se trata de vazamentos divulgados pelo jornal Folha de S. Paulo na semana passada.

Segundo anotações feitas pela PF obtidas pelo jornal, o ex-presidente petista queria “ser o parceiro de Temer para reconstruir a relação com PMDB” e prometeu tratar do assunto com Dilma. Em outro momento da ligação, segundo a Folha, Lula se mostrou preocupado com as manifestações pró-impeachment que estavam acontecendo ao redor do Brasil. “A classe política tem que se unir para recuperar o seu espaço”, Lula teria dito. Quando perguntado se havia percebido que o impeachment poderia resultar na eleição do atual presidente Jair Bolsonaro, Temer afirmou que “não faz conexão” entre os fatos. “De tempos em tempos, o Brasil quer mudar tudo. Aconteceu na eleição do Lula e aconteceu agora na eleição do Bolsonaro. Houve uma ponta para mudar tudo o que estava presente política e administrativamente”, disse. “É interessante até notar uma coisa: que toda que vez que há observações governamentais, há um salto. Salta-se dos governos passados para o governo Bolsonaro e não há críticas diretas, você pode perceber, ao meu governo”, finaliza.

FONTE: Blog do Anderson

Gabrielle S Valentin

Bacharelanda em Direito pela Faculdade Estácio de Sá, Consultora da UNESCO (braço da ONU voltado para a educação) e empreendedora. Gosta de escrever e desenvolver atividades ligadas ao jornalismo.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.