Login to your account

Username *
Password *
Remember Me
Sábado, 17 Novembro 2018
23°C

Condeúba

Nublado Humidade: 70%
Vento: ENE22.53 km/h
×

Atenção

JUser: :_load: Não foi possível carregar usuário com ID: 42

Quatro ex-prefeitos baianos já estão sendo cobrados judicialmente por terem provocado eleições suplementares nos seus municípios. Outros dois devem também ser acionados pelo mesmo motivo.


Isso ocorre devido a uma iniciativa da Justiça Eleitoral, Procuradoria Eleitoral e Advocacia Geral da União (AGU). Na Bahia, são alvo de ações de ressarcimento Gilvandro de Souza Araújo (de Castro Alves), Wagner Teixeira Santana (Pilão Arcado), José Rodrigues de Carvalho Júnior, o Zezinho (Iramaia), e José Roberto de Oliveira, o Zé do Betina (Cordeiros).


Segundo o jornal A Tarde, a ideia é desestimular candidatos “fichas-sujas” a disputarem eleições. Para isso, órgãos federais resolveram mexer no ponto mais sensível do ser humano: o bolso. Desde o ano passado, a AGU tem patrocinado ações na Justiça Comum cobrando o prejuízo que os “fichas-sujas” causaram ao obrigar a Justiça Eleitoral a convocar eleições suplementares.

Por Herzem Gusmão

Prefeito ACM Neto (DEM) pretende investir R$ 8,5 bilhões em Salvador


Investimento de R$ 8,5 bilhões em toda cidade de Salvador, até 2016, é o que tem anunciado o prefeito ACM Neto (DEM) em recente reunião com a sua equipe de governo e vereadores da base aliada. Para que a meta seja alcançada a previsão de aumentar a arrecadação em cerca de R$ 500 milhões ao ano nos próximos três anos, com a aplicação da Reforma Tributária aprovada na Câmara.

As parcerias público-privadas (PPPs) receberão atenção especial. A prefeitura está livre para buscar também parcerias e linhas de financiamento internacionais além dos convênios com os governos federal e estadual.


No encontro ficaram definidas ainda as metas de curto, médio e longo prazos para dez áreas temáticas. Foram estipuladas 57 metas e 54 iniciativas estratégicas que têm como prazo final para cada secretaria o fim do atual mandato, em dezembro de 2016.

Entre as metas, está a de ampliar a cobertura do Programa Saúde da Família (PSF) para 50% da população – hoje é de apenas 17%. Na Educação elevar a nota do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) para 5,0. Hoje, ela é de 4,0 (séries iniciais) e 2,8 (séries finais).


Em Vitória da Conquista, a atual administração petista, colocou a prefeitura na relação das inadimplentes no Cadastro Único de Convênios (Cauc), do Governo Federal. A simples restauração do bueiro da Avenida Bartolomeu de Gusmão, que cedeu com as chuvas, já ultrapassa 3 meses de espera. Sem recursos para tocar a obra e negativada, a PMVC não poderá buscar ajuda externa.


As metas em Vitória da Conquista ficam nas promessas do governo do PT que peca por falta de planejamento e projetos. A Educação, Saúde, Transporte Coletivo, Segurança Pública não contemplam moradores da zona urbana e zona rural. Na Educação a PMVC colocou a cidade com o pior desempenho do Ideb nas cidades de mais de 200 mil habitantes.

O SUS local com 5,06, está abaixo da média nacional que é de 5,48. Na segurança pública a Vitória da Conquista aparece entre as mais violentas do Brasil.

A Polícia Federal concluiu o inquérito que investigou a origem dos boatos sobre o fim do programa Bolsa Família, mas não conseguiu apontar os responsáveis pela disseminação das notícias falsas em doze estados do país, no mês de maio. Para a PF, um conjunto de “fatores desassociados” espalhou a notícia de que o programa seria suspenso, causando pânico nas agências da Caixa Econômica Federal – foram registrados cerca de 900.000 saques, totalizando 152 milhões de reais.


Após a confusão, ampliada pela tentativa da Caixa de acobertar suas falhas, integrantes do governo chegaram a acusar a oposição pelo episódio. A ministra da Secretaria de Direitos Humanos, Maria do Rosário, afirmou que partidos de oposição teriam orquestrado os boatos.

Na sequência, a presidente Dilma Rousseff admitiu que poderia ter ocorrido uma “falha” no pagamento dos benefícios pela Caixa. Responsável pelo pagamento dos benefícios, o banco público apresentou versões conflitantes sobre o que poderia ter acontecido e, ao final, confirmou ter antecipado o pagamento de benefícios do Bolsa Família em maio.


“O relatório da Polícia Federal aponta que o boato foi espontâneo, não havendo como afirmar que apenas uma pessoa ou grupo tenha causado os boatos envolvendo o Programa Bolsa Família”, diz a PF. “Conclui-se, assim, pela inexistência de elementos que possam configurar crime ou contravenção penal”, afirma.


Em quase dois meses, a Polícia Federal analisou informações fornecidas pela Caixa e verificou que, em maio, houve volume de saque anormal nas cidades de Ipu (CE) e Cajazeiras (PB). A PF ouviu 64 gerentes da Caixa nos locais onde foram registrados saques e descartou que a origem dos boatos tenha sido notícias em redes sociais, divulgação em rádios comunitárias ou mensagens de telemarketing, como chegou a ser afirmando pelo ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo.


“A internet e as redes sociais apenas reproduziram notícias veiculadas pela imprensa sobre os tumultos em agências bancárias. Da mesma forma, não ficou configurada a utilização de rádios comunitárias, telemarketing ou empresa contratada para a disseminação da informação de cancelamento do programa”, informou a PF nesta sexta-feira.


Fonte: veja.abril.com.br

A presidente Dilma Rousseff aproveitou discurso na Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios na manhã desta quarta-feira (10) para garantir que os municípios afetados pela seca estão tendo as entregas de equipamento aceleradas.

De acordo com Dilma, o cronograma de entrega será "muito claro". "Até agosto, queremos entregar grande parte das retroescavadeiras, concluindo tudo até outubro. Em novembro vamos concluir as motoniveladoras; em fevereiro, os caminhões-caçamba", disse a presidente. Dilma destacou que o cronograma dependeu muito da indústria brasileira, que teria ficado sobrecarregada com as encomendas de equipamentos. "O valor desses equipamentos hoje a preço de mercado está em torno de R$ 1,2 milhão.

Esses equipamentos melhoram a capacidade e a autonomia do prefeito para prestar serviços à população", ressaltou Dilma. Na avaliação da presidente, o Brasil só pode ir para frente, avançar mais, se "nós estivermos juntos". "Precisamos de uma federação forte", disse. A presidente anunciou recursos de saúde para os municípios, afirmando que "não tem nada mais valoroso para alguém que o seu direito à vida". Ela disse que a população brasileira, em todos os lugares, quer dignidade. Dilma reforçou que saúde e educação têm componente de custeio. "Saúde e educação precisam de bons professores, bons médicos", disse. "O programa Mais Médicos precisa emergencialmente da parceria de todos nós", falou aos prefeitos.

"Nós, juntos, conseguimos progressivamente melhorar a gestão do atendimento". Ao citar a questão dos médicos, a presidente disse: "temos hoje que começar a encaminhar solução dessa área que aparece em todas as demandas". Segundo ela, as conversas com associações de municípios e as pesquisas divulgadas pelos jornais mostram como sendo a saúde uma das maiores demandas. "Escutei ao longo desses dois anos e meio de governo, de prefeitos e governadores do norte do país, a reclamação de que podiam pagar R$ 30 mil e não tinha medico", colocou.

Fonte: Agência do Estado

Por Reinaldo Azevedo

 

É… O PT não vive os seus dias mais gloriosos na Bahia. Já publiquei aqui o vídeo em que o partido tenta aparelhar a festa do 2 de julho em Salvador com o grito de “o PT voltou” e é abafado pela massa com outro, muito mais forte e verdadeiramente disseminado na multidão: “O PT roubou”. Um vexame.


Na quinta-feira, dia 4, a presidente foi à Bahia lançar o Plano Safra Semiárido. E aconteceu isto. Assistam. Volto em seguida:

  

 

Voltei
Como vocês puderam perceber, quando a presidente cita o nome de ACM Neto (DEM), prefeito de Salvador, boa parte da plateia — e não era pouca gente, como se nota na imagem a abaixo, extraída do vídeo, grita o nome de ACM, avô do prefeito, que comandou a política local durante muitos anos. Herdeiros políticos do antigo líder comandam a resistência ao petismo no estado.

 

Vamos ver. A imprensa baiana noticiou que um dos líderes do coro é Elizeu Fagundes, que preside uma tal Federação Brasileira de Defesa dos Direitos Humanos. É uma figura polêmica, acusado pelo Ministério Público Federal de estelionato. Certo! Ocorre que Elizeu e sua turma — e certamente não foram os únicos a gritar “ACM” — também estavam lá para aplaudir Dilma Rousseff, o que fizeram mais de uma vez.


Em eventos assim, a plateia é cuidadosamente selecionada pelo Planalto para evitar constrangimentos. Nem sempre isso é possível. Dilma foi vaiada por agricultores no Mato Grosso do Sul por causa da aloprada política da Funai. Reitero: quem montou a plateia na Bahia no dia 5 foi o governo federal, foram os petistas. Jaques Wagner (PT), governador, assiste a tudo. Que se saiba, ninguém gritou “Wagner, Wagner…”. Começa a se tornar difícil ser petista também na Bahia…

Por: Oclides da Silveira

Estamos numa sinuca, por isso, somos obrigados a nos questionar com as seguintes perguntas: Pra que os políticos, se eles não têm desempenhado suas funções adequadamente? Será que não está na hora de rever os parlamentos? Será que o altíssimo custo operacional desses parlamentares para o País, compensa e justifica suas manutenções? Pois bem, vamos aos fatos:

Elege se um Prefeito, um Governador ou o Presidente da República, o que nem sempre se elege a maioria do seu grupo político para o Legislativo, logo a sua primeira e grande preocupação é ter a maioria no Parlamento com a justificativa da boa governabilidade.


Daí por diante, ele sai em busca daqueles parlamentares que foram eleitos em outros partidos políticos, ali começam as ofertas e as “negociatas espúrias” na calada da noite ou por traz das cortinas, para se conseguir a tão e mal fadada maioria no Parlamento, e muitas vezes conseguem até os dois terços, que é o desejo maior dos governantes. Isto feito, as vozes das Câmaras Municipais, das Assembléias Legislativas, da Câmara Federal e do Senado, passam a aprovar tudo que o chefe do seu respectivo Poder Executivo mandar para aquelas Casas de Leis.


Perguntamos: Onde ficam os compromissos assumidos por aqueles parlamentares que foram eleitos para defender os direitos do povo e depois esses próprios parlamentares passam a falar amem para o chefe do seu respectivo Poder Executivo? O qual foi eleito por uma proposta contrária a sua e do seu grupo político. Esquecendo assim, que na época de suas campanhas eleitorais, não foram colocado para seus eleitores, que eles se eleitos fossem, estariam dando apoio ao governante que se elegesse, independentemente de proposta ou bloco partidário.


Ora! Isto é um afronto à sociedade em geral, que não coaduna com este tipo de negociata e se consultada fosse, com certeza não aprovaria tais medidas tomadas por esses parlamentares e ou grupos políticos. Logo esta é uma resposta que está nas ruas, do porque a classe política é tão desmoralizada pelo povo.
Lembramos de algumas diligencias tomada para conter o excesso de gastos do dinheiro público deste País, foi através do Judiciário, que baixou uma portaria reduzindo o número de vereadores nas Câmaras Municipais. O que foi recomposto pelo Congresso Nacional a partir da legislatura de 2013, ignorando assim, a medida de contenção de despesas tomada pelo Judiciário.

O que gerou uma grande polêmica entre os Poderes Legislativo e Judiciário, destarte, eles vem operando em constantes crises. Outro fato interessante são as denuncias feitas pela imprensa, e apurada pela Justiça do mau uso de dinheiro público pelos Governos, tais como os escândalos dos oito Ministros de Estado que foram demitidos por Dilma Rousseff.

Os escândalos feitos pelo contraventor Carlinhos Cachoeira com dinheiro público, envolvendo até Governos de Estados. A roubalheira do dinheiro público aprontada pelos quadrilheiros do caso que ficou famoso no mundo inteiro como “Mensalão”. O escândalo descoberto pela “Operação Porto Seguro envolvendo os irmãos Vieira. Os escândalos denunciados constantemente pela imprensa da lavagem de dinheiro público pelas chamadas ONGs.


Até hoje a Justiça não consegue prender esses quadrilheiros exatamente por empecilho criado pelos políticos. Haja vista, o que o Governo Dilma Roussef pretendia com a famosa PEC 37 que visava tirar poder de investigação do Judiciário, e que só foi impedida por conta das grandes manifestações de ruas. Mais uma vez perguntamos: A final de contas, onde está o tão propagado funcionamento harmônico e independente dos três Poderes? Que só o encontramos no papel, por que na pratica jamais isto tem existido!

 

O Folha de Condeúba coloca este espaço à disposição de todos que queiram opinar ou discutir sobre os assuntos que tratam nossas matérias. Partilhe suas opiniões de forma responsável e educada e respeite a opinião dos demais. Não nos responsabilizamos por qualquer dano causado pelos comentários, é de inteira responsabilidade do seu autor.

 

A presidente Dilma Rousseff perdeu apoio dos eleitores, em meio a protestos que acontecem nas principais cidades do país, e, se as eleições presidenciais fossem hoje, ela teria provavelmente de enfrentar o segundo turno, segundo nova pesquisa Datafolha, publicada na edição deste domingo (30) do jornal "Folha de S.Paulo".

Segundo a pesquisa, Dilma teria hoje 30% das intenções de votos para a disputa presidencial de 2014, em um cenário de disputa que inclui Marina Silva (Rede), Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB). Nesta simulação, a petista tinha 51% das intenções de voto na pesquisa anterior, realizada nos dias 6 e 7 deste mês. Ou seja, a presidente perdeu 21 pontos em três semanas.

Em segundo lugar aparece Marina Silva, que subiu de 16% para 23%. Aécio foi de 14% para 17%. Campos oscilou de 6% para 7%. Os três adversários juntos pularam de 36% para 47%.

O número de eleitores que dizem não saber quem escolher ou que afirmam votar em branco, nulo ou nenhum subiu de 12% para 24%.

A pesquisa foi realizada na quinta (27) e sexta (28) com 4.717 pessoas, em 196 municípios. A margem de erro é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos.

Cenários com Barbosa e Lula
O Datafolha também inclui Joaquim Barbosa, nas simulações. Em seu melhor cenário, o  presidente do Supremo Tribunal Federal (STF, aparece com 15% das intenções de voto, empatado com Aécio e atrás de Marina (18%) e Dilma (29%). Campos pontua 5%.

No cenário com Lula sendo o candidato do PT, ele poderia vencer no primeiro turno, segundo o Datafolha, apesar de também ter caído. Na simulação em que a disputa inclui Marina, Barbosa, Aécio e Campos, Lula teria 45% e os quatro adversários somariam 43% e ficam empatados tecnicamente com o ex-presidente.

Em outro cenário, sem Barbosa na disputa, Lula tem 46% das intenções contra 37% de Marina, Aécio e Campos somados, o que apontaria para uma vitória no primeiro turno.

Aprovação da gestão Dilma cai 
Pesquisa divulgada pelo Datafolha neste sábado (29) mostra que a aprovação do governo Dilma caiu para 30%. O número de eleitores que consideram o governo bom ou ótimo caiu 27 pontos percentuais desde o início dos protestos no país. Há três semanas, a aprovação era de 57%. De acordo com o instituto, é a maior queda de popularidade registrada desde o início da gestão Dilma.

É a segunda vez desde que a presidente assumiu o cargo, em 2011, que sua avaliação cai acima da margem de erro da pesquisa. Em março, o índice de aprovação do governo atingiu 65%.

O percentual de pessoas que consideram a gestão Dilma ruim ou péssima passou de 9% para 25%, segundo a pesquisa. A nota média da presidente, numa escala de 0 a 10, caiu de 7,1 para 5,8.

Os entrevistados pelo Instituto Datafolha também avaliaram o desempenho da presidente em relação aos protestos. O levantamento apontou que, para 32%, a postura de Dilma foi ótima ou boa. Outros 38% julgaram como regular e 26% avaliaram como ruim ou péssima.

Diante das manifestações em centenas de cidades brasileiras, a presidente Dilma Rousseff fez um pronunciamento na TV no dia 21 de junho e propôs aos 27 governadores e aos 26 prefeitos de capitais convidados por ela para reunião no Palácio do Planalto, no dia 24, a adoção de cinco pactos nacionais: por responsabilidade fiscal, reforma política, saúde, transporte, e educação.

Fonte: datafolha

Apesar de garantir que não deixará a prefeitura de Salvador para disputar a sucessão do governador Jaques Wagner (PT) em 2014, o nome de ACM Neto (DEM) tem se mantido no topo das sondagens para o governo da Bahia. O jornalista Ilimar Franco divulgou nesta sexta-feira (14) em sua coluna no jornal O Globo o resultado de pesquisa da P&A que revela: Neto lidera em todos os cenários para o governo da Bahia. No levantamento P&A, o democrata atinge cerca de 37% das intenções de voto. “Nos cenários sem seu nome, os indefinidos pulam para 34% e a candidatura de Geddel Vieira Lima (PMDB) é turbinada em dez pontos percentuais”, escreve o colunista. Sem ACM Neto na disputa, o presidente estadual dos peemedebistas assume a ponta na corrida para o Palácio de Ondina. A pesquisa do Instituto P&A aponta Geddel com 23,2% e a senadora Lídice da Mata (PSB) com 13,1%. O senador Walter Pinheiro é o petista melhor colocado, com 9,5%. Ainda de acordo com Ilimar Franco, no pleito presidencial, Dilma alcança 54,4%, Marina Silva 17,2%, Aécio Neves 7,7% e Eduardo Campos 2,1%.

Fonte: bahianoticias