Login to your account

Username *
Password *
Remember Me
Sábado, 23 Junho 2018
25°C

Condeúba

Predominantemente nublado Humidade: 45%
Vento: ENE17.70 km/h
Itens filtrados por data: Terça, 06 Março 2018

Uma pesquisa encomendada pela Confederação Nacional do Transporte (CNT) ao Instituto MDA mostra que para 52,1% da população defende que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) deveria ter sido condenado pela 8ª turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), no dia 24 de janeiro, durante o julgamento da ação penal do triplex do Guarujá, atribuído ao petista.

Para 37,6%, Lula deveria ser inocentado.

De acordo com a CNT, a pesquisa ouviu 2.002 pessoas, em 137 municípios de 25 Unidades Federativas entre os dias 28 de fevereiro e 3 de março de 2018.
A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais e a margem de confiança é de 95%.

Publicado em Política

O homem que ocupava o valete de paus do Baralho do Crime da Secretaria da Segurança Pública da Bahia (SSP-BA) tinha uma vida de luxo em Maceió (AL), onde foi preso em operação conjunta das Polícias Civil da Bahia e de Alagoas, no sábado (3). O Baralho do Crime é um catálogo da SSP-BA que reúne fotos dos bandidos mais procurados do estado. João Cleison Mota Carvalho, conhecido como Didi, foi apresentado à imprensa nesta segunda-feira (5).

O criminoso somava oito mandados de prisão e era o chefe de uma quadrilha de tráfico de drogas com atuação em várias cidades do interior da Bahia.

Entre os crimes aos quais ele responde estão, além do tráfico, roubos e homicídios. De acordo com o G1, fugitivo da Unidade Especial Disciplinar (UED), que integra o Complexo Penitenciário da Mata Escura, em Salvador, desde abril de 2017, onde estava preso desde 2013, Didi se passava por empresário em Alagoas, onde vivia há menos de um ano, informou a polícia. Em Maceió, o criminoso morava em um condomínio de luxo, com familiares.

Durante o período em que ficou foragido da justiça, ele se passava por empresário, com a venda de carros, imóveis e carros de luxo, para lavar o dinheiro obtido pelo tráfico de drogas, atividade que continuava comandando de Alagoas.

 

Publicado em Bahia