Login to your account

Username *
Password *
Remember Me
Sexta, 10 Julho 2020
Muito Ensolarado

19°C

Condeúba

Muito Ensolarado

Umidade: 73%

Vento: 9 km/h

Sexta, 26 Junho 2015
BN

A polícia de Luís Eduardo Magalhães apresentou na sexta-feira (26) um homem suspeito de integrar quadrilhas que realizavam ataques a bancos e carros-forte. Com Pedro José dos Santos foram encontrados uma caminhonete blindada, armas, munições, provimentos do Exército, entre outros materiais que sugerem sua ligação a quadrilhas que praticam este tipo de crime.

De acordo com reportagem de A Tarde, o homem foi preso na quinta-feira (25), após denúncia recebida pela Companhia Independente de Policiamento Especializado (Cipe) Cerrado, sobre o assalto na noite anterior a uma fazenda na zona rural do município. Cinco homens teriam levado um trator, um Fiat Strada, máquinas de pequeno porte, notebook e uma TV 32 polegadas. O gerente e o funcionário ficaram presos nas dependências da fazenda e avisaram à polícia depois de conseguirem se libertar.

A PM e a Polícia Civil seguiram o GPS do trator roubado e chegaram ao esconderijo do suspeito, que negou envolvimento com qualquer crime. "Mas ele foi preso em flagrante por estar com produtos de roubo, arma e munições de uso restrito do Exército, como a ponto 50, que é capaz de derrubar uma aeronave, dentr outros objetos suspeitos", afirmou o delegado Leonardo Almeida. Uma Toytota SW4 encontrada na propriedade teria sido utilizada em ataques a carros-forte na região oeste do estado, modalidade conhecida como "novo cangaço", de acordo com a polícia.

 

Publicado em Bahia

A prática de "assassinato de reputações", muito comum em 'investidas políticas' nas cidades pequenas do país, que foi descrita e atribuida também ao Partido dos Trabalhadores pelo ex-aliado e ex Secretário Nacional de Justiça, advogado e desafeto do PT, Romeu Tuma Júnior, em seu livro (“Assassinato de Reputações — Um Crime de Estado”), de 560 páginas, também é notada em Condeúba. Essa prática consiste em atacar à honra de homens de respeito e moral reconhecida, a fim de se tirar proveito político.

No último domingo 21, o Senhor Décio Pereira, publicou no site cujo foi o idealizador, uma matéria fazendo duras críticas ao Jornal Folha de Condeúba e aos seus redatores, aproveitando-se de uma denúncia, baseada em uma notificação do CRF-BA, oriunda de uma entrevisa concecida ao Jornal Folha de Condeúba, cujo trecho de áudio segue abaixo.

 

 

Na matéria publicada no site local, o colega de imprensa tentou a todo custo colocar o Jornal Folha de Condeúba como um veículo que serve aos interesses políticos. Deturpando o trabalho realizado, que neste mês de Junho se completa três anos de sucesso absoluto na região.

A matéria Chegou ao absurdo, prestando o ridículo papel de acusar de forma criminosa, sem qualquer prova, que a equipe do Jornal forjou matérias. Tudo isso tentando eximir a administração municipal de sua responsabilidade.

Disseram que a falta de controle dos animais nas ruas da cidade (controole de zoonoses) era culpa do Jornal, que os urubus que rondavam a "favelinha" de venda de carnes tinham donos, e sabe-se la quem, e até acusando de ter arrastado um cachorro morto para que fossem feitas fotos, porém, nem sabiam que a foto foi retirada de um perfil no facebook, nem sequer foi de autoria da equipe de reportagem.

Ultrapassou qualquer limite do bom senso e do respeito aos seus próprios leitores. Como se não bastasse, comparou a matéria como um jogo de futebol, a publicação dizia que o JFC fizera um gol contra. E ai cabe uma reflexão: só se pode fazer gol, quando se joga em algum time. E vamos a uma comparação:

Em dois anos do governo Guto, o mesmo site que publicou tal matéria ganhou uma licitação da Prefeitura Municipal de Condeúba em 2014, no valor global anual de R$ 36.000,00 (trinta e seis mil reais), sob o contrato de 742/2014, que foi renovado agora em 2015 e deve somar um valor global nestes dois anos de R$ 72.000,00 (setenta e dois mil reais). Além disso, o mesmo redator que publicou a matéria, é filiado a partido político e tem deliberado reuniões, mesmo sem exercer qualquer cargo público, com funcionários da prefeitura e tem participado ativamente do governo. 

Já a matéria publicada no Jornal Folha de Condeúba, que não tem qualquer vínculo com prefeituras ou políticos, escrita por Micael Silveira, que não é filiado a qualquer partido e não tenho qualquer pretenção de pleitear qualquer que seja o cargo público, foi acusada de fazer parte de um "jogo" de um "time" político. Mas, o trocadilho não encaixou muito bem. Se tem algum veículo que participa de "times", este não é o JFC.

Mas pensando por outor lado, o único time que participamos é o time do Jornal Folha de Condeúba. E este não é composto por 11 jogadores e sim por mais ou menos 40 mil, que nos acessam e servem de combustível para o nosso trabalho, que tem surtido efeito nos mais diversos segmentos da sociedade, contribuindo com o acesso a informação, a divulgação de fatos relevantes e o desfecho dos assuntos mais polêmicos, abaixo segue uma pequena lista do serviço prestado.

  1. Extinção da fila, na marcação de exames no município, após publicar a situação, melhorando o acesso dos usuários ao serviço. (ACESSE A MATÉRIA)
  2. Pagamento dos salários de motoristas terceirizados que se encontravam atrasados, após publicação.(ACESSE A MATÉRIA)
  3. Pagamento dos salários atradados dos funcionários contratados das Empresas “Flex e Contrate”, a qual prestava serviços para o Governo do Estado da Bahia. (ACESSE A MATÉRIA)
  4. A solução, pelo menos parcial, para a venda de carnes, que vinha sendo feita de forma degradante, expondo vendedores e consumidores, no que ficou conhecido por favelinha. (ACESSE A MATÉRIA)
  5. A reforma da estrada, nas proximidades do Baixão de Fidelis, que foi sinalizada com bandeiras do PT, para alertar os transeuntes do perigo que ali se encontrava. (ACESSE A MATÉRIA)
  6. Entrevista com o Diretor da ONG Voluntários do Sertão, abrindo o espaço para fazer um balanlo da edição em Condeúba e responder as dúvias de leitores sobre o projeto. (ACESSE A MATÉRIA)
  7. Trazer ao conhecimento público a multa no valor de R$ 7.000,00, aplicada pelo TCM, devido a irregularidades nas contas do prefeito Guto. (ACESSE A MATÉRIA)
  8.  A divulgação de empreendimentos condeubenses na região, ajudando os empresários locais na comunicação do seu negócio, SEM QUALQUER COBRANÇA POR ISSO.
  9. Auxílio na promoção de eventos públicos, contribuindo assim com o lazer e a cultura da região, além do que esses eventos movimentam a economia local.
  10. Cobertura das movimentações do poder executivo e lesgislativo, a exemplo das posses de novas mesas diretoras (ACESSE UMA MATÉRIA)

Enfim, fez-se necessário esta matéria, para esclarecimento da situação vexatosa que foi exposto o JFC e seus colaboradores, que partiu com interesses muito maiores do que a própria divulgação de um fato qualquer, mas que nem de longe, balança a Credibilidade adquirida e a associação direta com a Ética e os Principios Morais, no que fazemos. Já é sabído e destinguido quais os veículos de comunicação da região servem a interesses de uma minoria e os que servem aos interesses da maioria.

Além de ganharmos o reconhecimento através da Projeto de Lei nº 006/2015, onde tornou de Utilidade Pública Municipal, o Jornal Folha de Condeúba, diversas manifestações públicas de apreço já foram realizadas, a exemplo do pronunciamento do ex-presidente da Câmara, Carlito José Pereira (VEJA AQUI), do também ex-Presidente da Câmara Silvan Baleeiros e muitos outros homens de respeito na sociedade.

É natural, quando assuntos de interesse comuns venham à tona, que encomode os interesses privados, que podem ser prejudicados com a informação, isso faz parte do sistema democratico. Para o nosso colega Décio, deixamos o nosso perdão pelo desvio ético, visto que é um colega de imprensa. Acreditamos que ele pode, tem potencial e recursos para ocupar o espaço do seu veículo com matérias muito mais relevantes para a sociedade condeubense e da região, e desempenhar um papel fundamental na construção da democracia, assim como o JFC busca fazer. De maneira alguma ficaremos ofendidos, muito pelo contrário, deixamos o nosso perdão e o nosso próprio trabalho como exemplo.

E se tem um time que jogamos, esse time não tem adversários, esse time é o interesse comum, a verdade e o respeito, onde não existe gols contras. Seremos sempre este veículo sério, que noticia fatos de forma imparcial e jamais nos reservaremos ao direito de atacar ou desrespeitar a honra de um homem ou uma instuição, seja ela qual for. Nós não criamos os fatos, apenas os noticiamos.

Esse é o Jornal Folha de Condeúba, sem financiamento de políticos ou orgãos públicos, sem qualquer vínculo com políticos. Assim formamos a família JFC.

Publicado em Condeúba
X

Proteção de Conteúdo

Conteúdo protegido por direitos autorais. Para obter autorização de reprodução, envie um e-mail para [email protected]