Login to your account

Username *
Password *
Remember Me
Segunda, 19 Fevereiro 2018
25°C

Condeúba

Predominantemente nublado Humidade: 68%
Vento: ENE6.44 km/h

Integrantes da Polícia Federal, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e do Ministério Público Federal (MPF) vão criar um grupo de trabalho para desenvolver formas de combate às chamadas notícias falsas (fake News, em inglês). O foco do trabalho será a discussão de medidas que possam ser adotadas nas eleições deste ano.

De acordo com a Agência Brasil, a criação do grupo foi uma demanda do próximo presidente do TSE, Luiz Fux, atual ministro do Supremo Tribunal Federal (STF). O tema entrou nas discussões sobre as regras para o pleito de outubro. Contudo, não foi incluído na resolução aprovada no dia 18 de dezembro pelo TSE e ainda deve ser objeto de regras antes do início do processo eleitoral. Além da instância, já está em funcionamento um conselho consultivo criado pelo atual presidente do TSE, ministro Gilmar Mendes, no fim de 2017.

O grupo desenvolve pesquisas e produz informações sobre a influência da internet nas eleições, em especial os prejuízos das chamadas notícias falsas e de robôs na disputa e propor o aperfeiçoamento de normas sobre esses assuntos. O tema das fake news ganhou visibilidade recentemente pela grande disseminação especialmente entre usuários e redes sociais. Essa prática causou polêmica como possível em processos eleitorais, como nos Estados Unidos e na França.

A possibilidade de receber um 14º salário atrai usuários do WhatsApp a cair em golpe do aplicativo. Segundo a PSafe, empresa responsável pelo aplicativo de segurança digital DFNDR, em dois dias, cerca de 320 mil pessoas foram ludibriadas.

A mensagem afirma que o usuário que trabalhou com carteira assinada pode conferir se tem direito a receber o benefício através da Caixa Econômica Federal, prometendo um 14º salário, no valor de R$ 937.

A vítima é direcionada a responder três perguntas, que independente dela, surge uma segunda página para compartilhar o link com dez amigos via WhatsApp para ter acesso a lista. Após seguir as recomendações o aparelho celular fica vulnerável a outros crimes ou prejuízo financeiro.

A Caixa Econômica Federal disponibiliza no portal orientações de segurança para alertar os clientes quanto a golpes.

ESTADÂO
Os Correios anunciaram nesta terça-feira, 17, que a sua operadora móvel virtual (MVNO) começará a ser implementada a partir de fevereiro deste ano. Segundo a companhia, o lançamento da Correios Celular será gradual e começará em São Paulo. A meta, porém, é que todos os Estados brasileiros tenham acesso so serviço até o final de 2017.

O objetivo da empresa de economia mista com a operadora virtual é alcançar as classes C e D, oferecendo planos baratos e com um proposta mais simples e fácil de entender. Além disso, as 12 mil agências no País servirão como postos de atendimento, facilitando contato entre clientes e operadora.

"Há um número enorme de brasileiros que ainda não utilizam telefonia móvel", afirma o presidente dos Correios, Guilherme Campos, por meio de nota. "Queremos ser uma boa opção para esses públicos, nos valendo de nossa vasta capilaridade.”

Inicialmente, serão oferecidos apenas planos pré-pagos, chips e recargas. A partir de 2018, porém, serão iniciados os estudos para definir a viabilidade da oferta de planos pós-pagos.

A meta é faturar R$ 12,6 milhões desse ano com a venda de chips e recargas, alcançando 1 milhão de usuários no mesmo período. Segundo a previsão da empresa, as receitas devem subir progressivamente, chegando a R$ 297,6 milhões ao longo dos cinco anos de contrato, em uma base estimada de 8 milhões de linhas móveis.

Parceria. Para colocar em prática a MVNO, os Correios firmaram uma parceria com a EUTV, prestadora de Serviço Móvel Pessoal (SMP) e autorizada pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). Ela será a responsável pela infraestrutura de suporte às telecomunicações.

A EUTV também é uma operadora virtual – só que do tipo autorizada, que tem de investir em infraestrutura e cuida de parte das conexões dos usuários. A EUTV utiliza a rede da TIM, como é o caso de outras operadoras virtuais brasileiras, como a Porto Seguro Conecta.

Você pode encontrar o Instagram do Folha Regional de Condeúba digitando na pesquisa @frcnoinsta ou pela url www.instagram.com/frcnoinsta

O Ministério Público Federal do Amazonas pediu, nesta quinta-feira (28), o bloqueio do chat do Facebook. No entanto, segundo o site Olhar Digital, toda a rede social pode sair do ar.

O procurador da República Alexandre Jabur, autor do pedido de bloqueio de R$ 38 milhões (referente a várias multas individuais de R$ 1 milhão) do Facebook fala abertamente sobre a possibilidade de suspensão total do Facebook no Brasil em publicação no site oficial do MPF-AM.

O caso corre em segredo de justiça, então vários detalhes do caso ainda são desconhecidos. No entanto, sabe-se que o Facebook recebeu ordem de pagar o que deve em até 15 dias, ou enfrentar as consequências, que podem ser de um novo bloqueio, que pode ir além da suspensão temporária do WhatsApp e atingir outros serviços da empresa.

Recentemente, após retirar o WhatsApp do ar, o Supremo Tribunal Federal (STF) considerou que o bloqueio do aplicativo uma medida desproporcional.

*As informações são do Bocão News

Bahia Notícias

O Supremo Tribunal Federal (STF) suspendeu a decisão do Tribunal de Justuiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ) que determinava o bloqueio do WhatsApp no Brasil. Com a medida, o aplicativo deverá voltar a funcionar no país. A ordem partiu do presidente da Suprema Corte, Ricardo Lewandowski, em resposta a uma ADPF (Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental) impetrata pelo PPS na tarde desta terça-feira (19).

O bloqueio havia sido determinado pela juíza Daniela Barbosa Assunção de Souza, da 2ª Vara Criminal da Comarca de Duque de Caxias. Ela acusa o WhatsApp de não contribuir com informações sobre suspeitos em investigações criminais. Ao contrário de bloqueios anteriores, a juíza não pedia o acesso a mensagens passadas.

Ela pedia que o aplicativo desabilitasse a criptografia para que as conversas fossem enviadas em tempo real para os investigadores "na forma que se dá com a interceptação de conversações telefônicas".

Direto do G1

A Justiça do Rio de Janeiro determinou o bloqueio do WhatsApp em todo o Brasil; veja reportagem da GloboNews no vídeo acima. Uma notificação foi enviada para as empresas de telefonia após o Facebook se recusar a cumprir uma decisão judicial e fornecer informações para uma investigação policial.

A decisão tomada pela juíza Daniela Barbosa manda as operadoras suspenderem o acesso imediatamente. Segundo a GloboNews, as provedoras de conexão foram notificadas da decisão por volta das 11h30.

O Facebook informou que não vai se manifestar e a assessoria do Whatsapp disse que não tem ainda uma posição sobre a decisão. Esta é a quarta vez que um tribunal decide pela suspensão do acesso ao aplicativo no Brasil.

O Sindicato das Operadoras de Telecomunicações (Sinditelebrasil) informou que ainda não tem informações sobre o caso. Procuradas pelo G1, Claro, Vivo e Tim afirmam que ficaram sabendo do bloqueio pela imprensa e ainda não possuem um posicionamento.

Com as mudanças trazidas pela mini reforma eleitoral e as novas regras para as disputas eleitorais de 2016, a internet se tornou um grande diferencial para a comunicação dos candidatos que vão disputar cargos de vereador e prefeito.

Desde que não seja impulsionada ou que haja o pedido explícito de votos, foi permitido pela justiça eleitoral a pre-campanha nas redes sociais através manifestação de ideias, publicação de fotos, manifestação de apoio a pre-candidaturas e discussão projetos, além da campanha que já era permitida em período eleitoral, que deve iniciar nesse ano após 15 de agosto.

Nesse cenário, o jovem empresário Micael Silveira sentiu a necessidade de serviços personalizados para candidatos, afim de auxiliá-los com o uso das redes, criação de sites, planejamento e criação de identidade visual e surgiu a ideia de criar o portal Candidatos na Internet, que oferece um mix de serviços que vai desde a revisão de textos para publicação até consultoria para melhorar a fala em público.

Para Micael "o poder de comunicação que a internet traz é fantástico, no Brasil são 36,8 milhões de lares conectados a internet (Segundo a pesquisa Pnad - IBGE - 2014), além disso, aumentou-se em larga escala o número de pessoas com smartphones conectados a internet. Então, a rede traz a oportunidade de atingir milhares de pessoas, de forma segmentada, rápida, simultânea e com baixo ou zero custo, o que não seria possível com os meios de comunicações tradicionais."

Os serviços estão organizados no portal www.candidatosnainternet.com.br e todo o processo desde contratar os serviços até a entrega pode ser feita de forma virtual. Os pagamentos podem ser feitos via cartão, boleto, transferência ou depósito bancário.