Login to your account

Username *
Password *
Remember Me
Sexta, 22 Novembro 2019
Muito Nublado

31°C

Condeúba

Muito Nublado

Umidade: 30%

Vento: 10 km/h

O ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva (PT) deixou a prisão em Curitiba após decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), nesta sexta-feira (8).

Ele – que estava preso desde 7 de abril de 2018 na Superintendência da Polícia Federal (PF) – saiu do local por volta das 17h40 e fez um discurso no qual agradeceu a militantes que ficaram em vigília por 580 dias e fez críticas ao que chamou de "lado podre do Estado brasileiro, da Justiça, do Ministério Público, da Polícia Federal e da Receita Federal".

Condenado em duas instâncias no caso do tríplex no Guarujá, no âmbito da Operação Lava Jato, Lula cumpria pena de 8 anos, 10 meses e 20 dias. Agora, o juiz Danilo Pereira Jr. autorizou que Lula recorra em liberdade.

FONTE: G1

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) cogita morar no Nordeste se for solto após a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que derruba a possibilidade de prisão de condenados em segunda instância, alterando um entendimento adotado desde 2016. Entre os estados nordestinos, a Bahia está na lista de possibilidade. A informação foi divulgada pelo colunista do Uol, Leonardo Sakamoto.

"Fico sonhando em sair daqui, decidir onde vou morar. Quando deixei a Presidência, tinha vontade de morar no Nordeste, vontade de voltar para meu Pernambuco, vontade de morar não perto da praia, mas num lugar em que pudesse ir à praia. Pensava em ir para Bahia, Rio Grande do Norte, mas a Marisa não quis ir porque ela nasceu em São Bernardo, e o mundo dela era São Bernardo. Eu não tenho mais o que fazer em São Bernardo. Não sei para onde ir, mas quero me mudar para outro lugar", afirmou o ex-presidente.

Lula nasceu em Caetés, quando o município ainda pertencia a Garanhuns, no agreste pernambucano. O ex-presidente tem residência em São Bernardo do Campo, região do ABC paulista onde começou sua carreira como sindicalista e político.

FONTE: Bahia Notícias

Um ato já anunciado no cenário político condeubense se confirmou com o lançamento da pré-candidatura do presidente da câmara municipal, o vereador petista Maurilo Guilherme. No seu primeiro mandato, o vereador já conseguiu galgar o posto de presidente da Câmara, que também foi disputado por uma colega de partido, e vem ganhando espaço e aceitação por uma parte do grupo político de oposição.

Se o nome do vereador for de fato levado adiante como cabeça de chapa, conseguirá agregar boa parte dos seus colegas de mandato no legislativo, bem como toda a ala do PCdoB que também ensaiou o lançamento de uma candidatura lá atrás e poderia se rebelar caso o nome fosse o do ex-prefeito Guto. Uma única interrogação seria o vereador Carlito, que teve a sua chapa derrotada por Maurílio, quando foi um dos entusiastas da chapa da vereadora Conceição (PT) na eleição da presidência da câmara municipal no ano passado e usou a rede social para tecer fortes críticas ao processo que conduziu o petista à presidência da casa.

Em um ato realizado no último dia 01/11 na casa legislativa do município, o vereador prestou contas do seu mandato aos participantes do evento e aproveitou para colocar seu nome como pré-candidato a prefeito para disputar as eleições próximas de 2020.

O ex-prefeito Guto, líder natural do grupo por ter ocupado o cargo máximo da política condeubense e ter sido o líder com maior número de votos no grupo, passou rapidamente pelo evento, pousou para uma foto ao lado do vereador e saiu justificando que teria outros compromissos de trabalho. Em conversa com alguns membros da oposição que são favoráveis ao nome de Guto, o ato do vereador não foi visto com bons olhos. 

Segundo alguns nomes da confiança do ex-prefeito Guto indagados por nossa redação, a candidatura de Guto é inevitável e esse ato foi apenas uma precipitação do vereador, que deve voltar atrás e manter seu foco político para 2020 na recondução do seu mandato de vereador.

O presidente Jair Bolsonaro afirmou neste sábado (2) que "está quase tudo pronto" para a reforma administrativa que o governo pretende apresentar ao Congresso.

Bolsonaro conversou com jornalistas na portaria do Palácio da Alvorada nesta manhã antes de ir ao comércio, em Brasília, onde comprou uma motocicleta.

"Não posso garantir que vai sair nesta semana, mas está quase tudo pronto para a criança nascer", afirmou o presidente ao ser questionado sobre a expectativa para a reforma.

Ainda sobre a reforma administrativa, que vai alterar regras para o serviço público, o presidente informou que as mudanças devem valer apenas para "futuros concursados".

FONTE: G1

O presidente Jair Bolsonaro sancionou nesta terça-feira (17) o projeto que amplia a posse de arma dentro de uma propriedade rural. O texto agora passa a valer como lei.

Pelas regras atuais do Estatuto do Desarmamento, o dono de uma fazenda, por exemplo, só poderia manter uma arma dentro da sede da propriedade. Com a nova norma, ele poderá andar armado em toda a extensão do imóvel rural.

O projeto foi aprovado pela Câmara dos Deputados em agosto (veja no vídeo no fim da reportagem) e tem teor semelhante ao de um decreto editado por Bolsonaro que trata do registro e da posse de armas de fogo.

O decreto já previa que a posse de arma valesse para "toda a extensão da área particular do imóvel, edificada ou não", mesmo quando se tratasse de imóvel rural.

Em entrevista ao programa Roda Viva, da TV Cultura, na noite desta segunda-feira (16), o ex-presidente Michel Temer afirmou que “não apoiou o golpe”, referindo-se ao impeachment de Dilma Rousseff, em 2016. De acordo com o emedebista, um telefonema feito pelo também ex-presidente Lula mostra como ele não era “adepto do golpe”. “Jamais apoiei ou fiz empenho pelo golpe […] O Lula pleiteava trazer o PMDB para impedir o impeachment e eu tentei. Mas, à esta altura, confesso, que a movimentação popular era tão grande, tão intensa, que os partidos já estavam mais ou menos vocacionados para a ideia do impedimento”, disse ele. “Apenas assumi a presidência da República pela via, não só constitucional, como eleitoral porque quando a senhora ex-presidente foi eleita, eu também fui eleito”, completou. O telefonema citado por Temer se trata de vazamentos divulgados pelo jornal Folha de S. Paulo na semana passada.

As eleições municipais de 2020 que vão eleger prefeito e vereadores ainda estão relativamente distantes e o clima político ainda é morno em Condeúba mas, os partidos políticos já começam as suas sondagens. Somente nesse segundo semestre de 2019 pelo menos três sondagens eleitorais já circularam pelo município testando a popularidade de nomes da oposição e da situação. Nenhum resultado foi divulgado.

Na oposição, ainda existe uma indefinição pela unidade do grupo, onde o ex-prefeito Guto encontra dificuldades para unir a sua base e formar uma chapa única para disputar o pleito. Uma ala do grupo veta o nome do ex prefeito defendendo que a derrota na sua reeleição para Silvan na reeleição de 2016 e o mandato de baixa produtividade gerou uma rejeição significativa acerca do seu nome o que tornará inviável lograr êxito na disputa do próximo ano. 

Já no grupo de situação, as condições parecem ser mais confortáveis. O prefeito Silvan vem conseguindo obter um destaque com a sua gestão. Os trabalhos podem ser notados tanto na zona urbana como na zona rural, denotando o sucesso na contemplação das suas proposições do plano de governo, sobretudo na área de saúde e infra estrutura. Assim, terá facilidade tanto para ser reeleger, caso seja essa sua opção, como para fazer o sucessor se optar pela não reeleição.

No legislativo, o cenário ainda traz poucas definições. Fala-se muito na cidade pela renovação das cadeiras na casa de leis do município, apesar da legislatura trazer nomes que também tem apresentado uma boa atuação à frente dos seus mandatos.

No mandado de busca expedido para os endereços de Maurício Ferro, ex-executivo da Odebrecht, há orientação da Lava-Jato em Curitiba para que os agentes busquem elementos comprometedores contra o senador Jaques Wagner (PT) — que tem foro privilegiado no STF — e outros 15 investigados. A lista inclui advogados e personagens petistas como José Eduardo Cardozo, Giles Azevedo, Fernando Pimentel, Aloizio Mercadante, Anderson Dornelles, Edinho Silva, Beto Vasconcelos, Aldemir Bendine e José Di Filippi Júnior. De acordo com a Veja, muitos são advogados, como Nelson Jobim, Dora Cavalcanti e o falecido Marcio Thomaz Bastos. Há ainda pessoas jurídicas e empresários, como André Esteves e o BTG.

FONTE: Sertão em Dia