Login to your account

Username *
Password *
Remember Me
Segunda, 22 Abril 2019
Muito Nublado

20°C

Condeúba

Muito Nublado

Umidade: 95%

Vento: 6 km/h

O presidente Jair Bolsonaro declarou nesta sexta-feira (12) que telefonou para o presidente da Petrobras para ordenar a suspensão de um aumento nos preços do diesel que tinha sido anunciado pela empresa horas antes.

O anúncio saiu na tarde da quinta (11): aumento de 5,74% no diesel, a partir desta sexta. O litro a R$ 2,26 na distribuidora. Esse índice ficou poucas horas na página da Petrobras na internet,o suficiente para reclamações chegarem ao Planalto.

As queixas de líderes de caminhoneiros foram direto ao ouvido do ministro da Casa Civil. Onyx Lorenzoni ligou para o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, pedindo mais informação e correu para o gabinete presidencial. Nas palavras de Onyx, “o diesel é muito importante para os caminhoneiros, para o transporte de cargas, e esse aumento seria um solavanco na economia”.

Convencido disso, Jair Bolsonaro ligou para o presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, e pediu revisão dos números, atropelando o próprio discurso de governo liberal.

Uma barragem de rejeitos de minério de Maiquinique, no Médio Sudoeste baiano, foi interditada por risco alto de rompimento. A interdição das instalações e locais de trabalho da barragem, de propriedade da mineradora Grafite do Brasil, foi feita pela Superintendência Regional do Trabalho na Bahia (SRT-BA) nesta segunda-feira (9). Segundo o G1, foi a Agência Nacional de Mineração (ANM) que classificou a barragem como categoria de risco alto, tornando a represa uma das três de maior ameaça no país.

Para se ter ideia da situação, as barragens de Brumadinho e Mariana, em Minas Gerais, onde aconteceram as tragédias que deixaram centenas de mortos em Minas Gerais, eram consideradas de risco baixo. Ainda em Maiquinique, auditores-fiscais constataram risco que pode resultar em morte ou lesão grave à integridade física ou à saúde de cerca de 150 trabalhadores.

Um relatório técnico apontou problemas como falta de instrumentos para monitorar a barragem, que tem sinais de falha da estrutura. A mineradora Grafite do Brasil é formada pelas empresas Samaca Ferros Ltda e Extrativa Metalquímica S/A. A empresa ainda não se manifestou sobre a interdição da represa em Maiquinique.

FONTE: Bahia Notícias

O WhatsApp anunciou novas regras de privacidade para que o usuário possa ser adicionado em grupos, novos ou já existentes. As mudanças começam a valer a partir desta quarta-feira (3) em atualizações para Android e iOS.

De acordo com o aplicativo, que faz parte do grupo do Facebook, as novas configurações possibilitam ao usuário escolher qual tipo de contato pode ou não adicioná-lo aos grupos.

Como aplicar:
Para ativar, é necessário ir no campo "Configurações" no aplicativo, depois em "Conta > Privacidade > Grupos" e selecionar uma das três opções: "Ninguém", "Meus contatos", ou "todos".

"Ninguém" significa que você terá que aprovar a entrada em cada grupo para o qual você foi convidado, e "Meus contatos" significa que somente usuários da sua lista de contatos poderão adicionar você a um grupo.

Nesses casos, será solicitado que a pessoa que convidar você a um grupo envie um convite privado em uma conversa privada. O usuário terá três dias para aceitar o convite antes que ele expire.

O aplicativo afirma que os usuários terão mais controle das mensagens em grupo que irão receber.

Fonte: G1

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) sofreu um ataque na madrugada da segunda-feira (1º). O ataque vazou dados de pessoas que já utilizaram os serviços do CNJ, como nomes completos, números de contas bancárias, telefones, CPFs e senhas.

Em nota divulgada à imprensa, o CNJ informou que "nenhum sistema de informações processuais foi atingido" pelo ataque. Portanto, diz o comunicado, o PJe e o banco de monitoramento de prisões (BNMP) não foram afetados. Segundo o site Defcon Lab, o ataque foi feito por uma hacker que usa o codinome Al1ne, de uma equipe chamada Pryzraky. Já o site TecMundo afirma que são cerca de seis mil linhas de dados com informações pessoais e credenciais de acesso para serviços do CNJ.

A hacker deixou uma mensagem em indonésio: "Uma criança nascida hoje crescerá sem uma concepção de privacidade. Eles nunca saberão o que significa ter um certo momento para si pensamentos que não são registrados e não analisados. E isso é um problema porque a privacidade é importante; a privacidade é o que é possível devemos determinar quem somos e quem queremos ser”. O CNJ informou que já acionou as autoridades e tomou as medidas necessárias para apurar os fatos e manter a segurança do Portal.

Foto: Bahia Notícias

 

Um mês após a morte de Arthur Araújo Lula da Silva , de sete anos, neto do ex-presidente Lula , a Prefeitura de Santo André informou que a causa da morte não foi meningite, como informado inicialmente pelo Hospital Bartira.

Arthur morreu no dia 1 de março após dar entrada no hospital por volta das 7h14 com febre, náuseas e dores abdominais. Segundo a Prefeitura de Santo André, o quadro evoluiu para confusão mental e o menino morreu por volta de 12 horas. A causa atribuída pelo hospital foi meningite.

"Apesar da notificação, o resultado do exame de líquor realizado no mesmo dia pelo próprio Hospital Bartira, acusou bacterioscopia negativa", informou a Prefeitura de Santo André.

As amostras de sangue foram, então, enviadas para o Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo. O laudo, emitido nesta segunda-feira, aponta que o resultado descartou todos os tipos de meningite como causas da morte.

A Prefeitura de Santo André, contudo, não informou qual o motivo do óbito do neto do ex-presidente Lula.

"Informações adicionais relacionadas ao caso dependem da autorização expressa da família da criança", segundo o comunicado da Prefeitura.

Após a morte do neto de Lula, a Justiça Federal do Paraná decidiu permitir que o ex-presidente participasse do velório de Arthur.

FONTE: Jornal o GLOBO

Em meio a uma nova onda de insatisfação dos caminhoneiros, a Petrobras anunciou nesta terça (26) mudanças em sua política de preços para o diesel, que passará a ter reajustes em um prazo mínimo de 15 dias.

A companhia anunciou ainda estudos para a implantação de um cartão de pagamentos -batizado de Cartão Caminhoneiro- para a compra do combustível a preço fixo em postos da BR Distribuidora, como proteção contra a volatilidade de preços.

A mudança na periodicidade dos reajustes foi aprovada pela diretoria da estatal em reunião na segunda (25). Diferentemente do que aconteceu em outras ocasiões semelhantes, não há previsão de entrevista para detalhar a medida.

Em comunicado ao mercado, a Petrobras afirmou que manterá a política de acompanhamento das cotações internacionais, mas que os reajustes se darão em "períodos não inferiores a 15 dias".

O Ministério Público Federal em Brasília pediu nesta terça-feira (26) à Justiça Federal para tornar o ex-presidente Michel Temer réu em uma ação penal.

Em 2017, quando ainda estava no mandato, Temer foi denunciado pela Procuradoria Geral da República (PGR) no caso em que Rodrigo Rocha Loures, então assessor especial da Presidência, foi flagrado pela Polícia Federal recebendo de um integrante da J&F uma mala com R$ 500 mil.

Segundo a denúncia, o dinheiro era propina da empresa para o grupo político de Temer. Desde que as investigações começaram, o ex-presidente e a defesa dele têm negado envolvimento com irregularidades e afirmado que o dinheiro não era para ele.

Quando a PGR denunciou Temer, a Câmara analisou o caso – conforme prevê a Constituição – e rejeitou o prosseguimento do processo para o Supremo Tribunal Federal.

Com a decisão, a denúncia ficou parada na Justiça e, com o fim de mandato de Temer, e o fim do direito dele ao foro privilegiado, o caso foi para a Justiça Federal de Brasília.

Quando alguém é denunciado pelo MP em uma instância da Justiça, e o caso vai para outra instância, a denúncia precisa ser ratificada pelo MP para prosseguir. Não há prazo para o juiz federal de primeira instância decidir sobre o pedido.

FONTE: G1

O ex-presidente Michel Temer deixou a superintendência da Polícia Federal do Rio de Janeiro no início da noite desta segunda-feira (25). Ele foi liberado da prisão por determinação do desembargador do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2).

O ex-presidente foi preso na última quinta (21) como parte da Operação Descontaminação. O ex-ministro Moreira Franco, João Baptista Lima Filho, conhecido como coronel Lima, e os outros cinco alvos da ação também foram liberados com a decisão desta segunda do desembargador Antonio Ivan Athié.

Ao justificar a decisão, o desembargador disse que não é contra a Operação Lava Jato, mas disse que a prisão foi baseada em "suposições de fatos antigos". "Tem-se fatos antigos, possivelmente ilícitos, mas nenhuma evidência de reiteração criminosa posterior a 2016, ou qualquer outro fator que justifique prisão preventiva", escreveu.

FONTE: Bahia Notícias