Login to your account

Username *
Password *
Remember Me
Sábado, 17 Novembro 2018
21°C

Condeúba

Predominantemente nublado Humidade: 77%
Vento: ENE19.31 km/h

Na primeira pesquisa do Ibope/TV Bahia, após o início da campanha para prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), candidato à reeleição, aparece na frente com 68% das intenções de votos, uma ampla vantagem para a segunda colocada, a candidata da coligação PCdoB/PT/PSB Alice Portugal que marcou 8%.

O terceiro lugar é do candidato do PDT Pastor Isidório de Santana, com 6%. Em quarto lugar estão empatados Fábio Nogueira (PSOL) e Rogério Tadeu Da Luz (PRTB) ambos com 1%. Célia Sacramento (PPL) e Cláudio Silva (PP) não pontuaram.

A pesquisa avaliou também a rejeição dos candidatos. 48% responderam que não votariam em Da Luz de jeito nenhum, seguido de Isidório com 41%, Alice com 24%, Cláudio com 22%, Fábio com 21%, Célia com 17% e Neto com 13%. Nenhum 3%, não sabe 13%.

Período
O levantamento foi divulgado na noite desta segunda-feira, 22, pela TV Bahia. O Ibope ouviu 602 pessoas, entre os dias 18 e 21 de agosto.
Conforme o instituto, o nível de confiança é de 95% e a margem de erro de 4 pontos percentuais para mais ou para menos. A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral com o número BA-02257/2016.

O Ibope avaliou ainda a administração do prefeito ACM Neto.

Para 71% ele faz uma gestão ótima ou boa; 23% regular, 5% ruim e péssimo, 1% responderam que não sabem.

Lobato
No dia da divulgação da primeira pesquisa sobre a sucessão municipal, o prefeito ACM Neto determinou a suspensão das licenças municipais da Embasa até a empresa regularizar o abastecimento de água no Lobato, na região da Prainha, ruas das Palmeiras, São Pedro e São Luiz.

A decisão de Neto atendeu ao apelo de centenas de moradores dessas localidades que estão sem água nas torneiras há 90 dias. O pedido para que houvesse a intervenção do prefeito na questão foi feito durante a caminhada realizada no bairro no início da tarde desta segunda.

Bahia Notícias

Com início nesta terça-feira (16), o período de campanha eleitoral vai contar com mudanças provocadas pela nova legislação desenhada pela minirreforma política. Neste ano, além da redução do prazo, de 90 para 45 dias, haverá modificações na forma como os candidatos estavam acostumados a fazer campanha. De acordo com Lisaldo Costa, servidor do Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA), uma das principais mudanças está em uma velha maneira de propaganda: as pinturas com nomes e números dos candidatos em muros. “Uma das mudanças que ocorreram é que não pode mais fazer, mesmo em bens particulares, pintura nem pichação nos muros. É proibido.

Até a eleição passada, ele pintava o nome dele no muro e essa inscrição está proibida. Esse ano, será permitido só colocar papel adesivo no muro e o tamanho não pode exceder 0,5 m², ao contrário dos 4 m² de antigamente”, explicou em entrevista ao Bahia Notícias. Algo comum, a sujeira provocada pela distribuição de santinhos também está vedada pela nova legislação eleitoral. “Esse derrame de material no local da votação era bem comum, jogavam aquela quantidade imensa de santinhos no chão. Esse ano, é proibido o derrame de propaganda no local de votação proibido. Configura propaganda irregular”, afirmou, explicando que a proibição se estende também para as proximidades dos locais de votação, sem, no entanto, indicar algum perímetro. A propaganda em veículos também foi limitada. “Está proibida, menos adesivos micro perfurados até a extensão total do para-brisa traseiro.

Bahia.ba

Um dos fundadores do PSD, em 2011, o senador Otto Alencar pode ter a presidência do diretório estadual tomada pelo comandante da sigla e ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, a menos de dois meses das eleições municipais.

De acordo com a coluna Painel, da Folha de S. Paulo desta quinta-feira (11), o auxiliar do presidente interino Michel Temer (PMDB) ficou irritado com o voto do parlamentar baiano contra a continuidade do processo de impeachment da petista Dilma Rousseff e decidiu convocar a executiva nacional.

O bahia.ba apurou que o ultimato já foi dado e se Otto não reconsiderar o posicionamento na votação final que poderá sacramentar a cassação da presidente afastada, marcada para o fim do mês, ele será retirado da direção estadual da sigla.

De olho na movimentação, representantes do DEM já fazem contato com Kassab para assumir o PSD na Bahia.

Em Brasília, na Câmara dos Deputados, avança o processo de cassação do mandato do deputado federal, ex-presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB/RJ). O deputado Hildo Rocha (PMDB-MA) leu no Plenário o parecer do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar que recomenda a cassação do deputado afastado por quebra de decoro parlamentar. A leitura começou tão logo a sessão foi aberta, no início da tarde desta segunda-feira (8).

O processo para entrar na Ordem do Dia são contadas duas sessões do Plenário. Serão necessários 257 votos para consagrar a cassação. A Câmara dos Deputados é formada por 39 deputados de todo Brasil.

Eduardo Cunha já entrou na história do Brasil por ter sido um dos principais responsáveis pelo afastamento da presidente Dilma Rousseff. O Senado deverá confirmar a cassação da presidente.

Levantamento preliminar feito pela Direção Nacional do PT mostra que a legenda terá 1.135 candidatos a prefeito nas eleições de outubro. O número representa uma redução de 35,5% em relação aos 1.759 candidatos petistas que disputaram prefeituras nas eleições de 2012. É a menor quantidade de representantes do partido em um pleito municipal nos últimos 20 anos, quando disputou 1.077 prefeituras em 1996. Segundo dirigentes do PT, a redução reflete as turbulências pelas quais tem passado o partido. "É a crise", afirmou o deputado Paulo Teixeira (PT-SP), vice-presidente da legenda.

A queda ocorre em todas as regiões do Brasil, de acordo com os dados do PT - o País tem 5.750 municípios. O único Estado onde o número de candidaturas aumentou é o Piauí, governado por Wellington Dias (PT), com 70 nomes em disputa neste ano contra 49 há quatro anos. Segundo o secretário nacional de Organização do PT, Florisvaldo Souza, o número vai aumentar até o término do prazo para registro de candidaturas, dia 15 deste mês, mas certamente ficará bem abaixo do registrado nas últimas eleições municipais. "Não tenho os números calculados ainda.

De fato há uma redução de candidatos, mas, em compensação, devemos disputar mais eleitores." O PT vai ter mais candidaturas neste ano em capitais. Serão 20 nomes contra 17 em 2012. Já nas cidades com mais de 150 mil eleitores, o número também caiu. O PT lançou 84 candidatos quatro anos atrás e agora vai encabeçar 70 chapas, uma redução de 11%. A cúpula partidária aponta três motivos para o encolhimento: o sentimento antipetista amplificado pelas revelações da Operação Lava Jato; a proibição das doações empresariais, defendida pelo partido; e o processo de impeachment de Dilma Rousseff, que distanciou o PT de aliados tradicionais e restringiu as alianças - a direção proibiu coligações com políticos que tenham se manifestado publicamente a favor do afastamento da presidente. O impacto do impeachment pode ser sentido com mais intensidade no Rio, onde o PT mantinha alianças com o PMDB no governo estadual e na prefeitura da capital. O número caiu de 34 candidaturas, em 2012, para nove, neste ano.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) tinha “ciência do estratagema criminoso” e participou “ativamente” do esquema de corrupção na Petrobras. Esta é a conclusão de procuradores da Operação Lava Jato em parecer enviado à Justiça nesta semana. "Há elementos de prova de que Lula participou ativamente do esquema criminoso engendrado em desfavor da Petrobras, e também de que recebeu, direta e indiretamente, vantagens indevidas decorrentes dessa estrutura delituosa", escrevem os procuradores.

No documento, de 70 páginas, a força-tarefa da operação no Ministério Público Federal afirma também não ser “crível” a ideia de que o ex-presidente não soubesse do esquema, por ter admitido, em 2005, existência de caixa dois no PT e por ter dito à Polícia Federal, em depoimento em março, que nomeava diretores da estatal seguindo indicações de aliados políticos. "Diversos fatos vinculados ao esquema que fraudou as licitações da Petrobras apontam que o ex-Presidente da República tinha ciência do estratagema criminoso e dele se beneficiou", dizem. Os procuradores afirmaram que o esquema de corrupção “orbitava” também em volta do PT.

Apresentado ao juiz Sergio Moro na quarta-feira (3), o parecer do MPF responde a um pedido da defesa de Lula para que o magistrado se declarasse incompetente de conduzir o processo. O ex-presidente é investigado por suspeita de ocultar a propriedade de um tríplex no Guarujá, um sítio em Atibaia (SP), além de embolsar dinheiro ilícito como pagamento de empreiteiras por dadas. Os advogados de Lula sustentam que os fatos investigados pelos procuradores ocorreram no Estado de São Paulo e não possuem relação com a Lava Jato. O petista nega as acusações e diz ser alvo de perseguição política pelo Ministério Público.

Faltando apenas três dias para o prazo final estipulado pelo TSE para realização das convenções partidárias que devem oficializar os candidatos para a disputa das eleições desse ano de 2016, a oposição de Cordeiros apresentou os nomes dos pré-candidatos a prefeito e vice que representarão o grupo no pleito.

Valdemir José dos Santos, conhecido por Demi, foi apresentado como pré-candidato a prefeito e Aldrin Fernandes dos Santos, conhecido por Dinga, vice. A chapa saiu com o apoio dos principais partidos de oposição (DEM e PMDB) e também das lideranças de respaldo como o ex-prefeito Djalma Gusmão e os empresários Dão de Vavá e Odaildo.

A convenção dos partidos que compõem a base de oposição (DEM, PMDB, PSC, PR e PDT) será realizada no dia 04 de agosto, às 14 horas na sala de reuniões da Câmara Municipal de Vereadores.

A chapa apresentada devem disputar com os pré-candidatos Delci e Teco.

 

O relator da comissão do impeachment no Senado, Antonio Anastasia (PSDB-MG) concluiu em seu relatório que a presidente afastada Dilma Rousseff deve ir a julgamento final. O documento de 440 páginas foi disponibilizado na internet e deve ser lido aos demais integrantes do colegiado ainda na tarde desta terça-feira (2). Ele argumenta que “a petista cometeu um atentado à Constituição” ao atrasar os pagamentos a bancos públicos - prática que ficou conhecida como pedaladas fiscais - e editar decretos de crédito suplementar. “A gravidade dos fatos constatados não deixa dúvidas quanto à existência não de meras formalidades contábeis, mas de um autêntico atentado à Constituição”, relata o senador.