Login to your account

Username *
Password *
Remember Me
Sábado, 23 Março 2019
Nublado

25°C

Condeúba

Nublado

Umidade: 65%

Vento: 6 km/h

×

Atenção

JUser: :_load: Não foi possível carregar usuário com ID: 42

Por Leandro Flores

Sou do tipo que não se enquadra em nenhum tipo de “encaixotamento” político, religioso ou ideológico. Simplesmente não consigo fechar os meus olhos, escolher um lado e achar que quem não concorda comigo (ou que quem escolheu o outro lado no qual eu não me encontro) esteja errado e que eu deva combater veementemente até convencê-lo de seus equívocos... Não. Não, não sou o dono da verdade. Até porque a verdade, muitas das vezes é relativa. Vai depender do ângulo de observação.

Quando se trata de política então, a coisa fica mais relativa do que nunca. Quem em sã consciência intelectual ou cultural vá afirmar categoricamente que o que se passa atualmente com o nosso país seja apenas um objeto de POSICIONAMENTO POLÍTICO? Que quem seja a favor de uma determinada lógica política esteja completamente com a razão e que o outro lado seja o usurpador, o alienado ou o ladrão da história?

Passamos por uma turbulência que certamente será histórica e decisiva para o futuro de nossa tão estimada “Pátria amada”. O Brasil vive uma crise que ultrapassa a área econômica, financeira, política, ética, moral... É uma crise existencial. Não podemos escolher um lado do galho e ficar jogando pedra em quem está do outro lado, buscando o mesmo objetivo. É preciso que haja respeito e tolerância se quisermos encontrar realmente um caminho para se sair da beirada do precipício.

Vivemos uma aberração total de valores em todos os sentidos. Seja de tolerância e aceitação, seja na razoabilidade do posicionamento intelectual. Pensar, agir e ser, acabou sendo uma questão de sobrevivência humana. Aquela capaz de criar e recriar mecanismo de aceitabilidade conjuntiva e de transformação social e cultural e que determina a harmonização da convivência. Há um abismo enorme se abrindo ao nosso redor e não nos damos conta que uma força invisível empurra-nos catastroficamente para esse abismo. No momento sentimos apenas o cheiro podre de “enxofre” e a fumaça obscura das conjunções. Mas ele existe e é inevitável. E não adianta, escolher um lado. TODOS NÓS BRASILEIROS INCONSCIENTEMENTE ESTAMOS CAMINHANDO PARA ESSE MESMO ABISMO... Recitando a mesma cartilha da ignorância e da velha truculência política partidária.

A principal questão é: de quem é a culpa? Qual é a força que nos empurra para o submundo das abominações irrestritas da racionalidade? A primeira reação seria colocar a culpa no outro (um arquétipo descrito e carimbado desde a criação do mundo). Mas se formos capazes de analisar a situação por outros ângulos veremos a nossa cara em todo esse processo. Sim. Fomos nós que construímos esse abismo e somos nós os causadores desse tenebroso episódio suicida. Os “odores” nada mais são do que a nossa hipocrisia e a falta de senso e de percepção da realidade que nos cerca. Tudo isso, já estava criado e pronto para emergir a qualquer momento. Infelizmente chegou a hora e se não acordamos a tempo seremos tragados irremediavelmente para o fundo do poço. E aí só Deus saberá se ainda teremos força para sobrevivência.

Bahia Notícias 
O secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Jaques Wagner, se absteve de comentar a declaração do presidente estadual do PT, Everaldo Anunciação, de que, caso o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva estivesse impedido, ele poderia disputar as eleições presidenciais pelo partido em 2018 (leia aqui).

Questionado se teria algo a comentar em relação à possibilidade, o titular da SDE deu uma resposta curta e grossa: “Nada”. Já ao falar sobre a grave crise política que atinge o governo Michel Temer, Wagner avaliou que o presidente tem “baixa condição de governabilidade” e pregou que, caso ele saia do cargo, é necessária a realização de eleições diretas.

“Se houver algum desfecho do mandato dele, melhor seria ter uma Emenda Constitucional votada rapidamente para antecipar as eleições de 2018 para 2017. Sem a consulta popular, dificilmente nós vamos achar uma saída com estabilidade”, defendeu.

O petista também se esquivou de apontar qual das três saídas mais fortemente apontadas – impeachment, renúncia ou cassação do mandato pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) – poderiam tirar Temer da Presidência da República. “Aí é futurologia”, respondeu.

Proposta de Emenda Constitucional – PEC apresentada pelo Deputado Luciano Ribeiro na Assembleia Legislativa, em 17 de maio, prevê na Composição do Tribunal de Contas da Bahia a indicação de um de seus membros pela OAB.

Para o deputado, a proposta visa equiparar os Tribunais de Contas da Bahia à regra observada no Quinto Constitucional obedecida pelos Tribunais Judiciais no país. “Assim valorizamos o advogado que é essencial à administração da Justiça, além de democratizar a escolha dos conselheiros” salientou Ribeiro.

No documento que encaminhou ao Supremo Tribunal Federal (STF), o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, afirma que Michel Temer (PMDB) e Joesley Batista conversam sobre pagamento de propina com anuência do presidente.

A gravação feita pelo empresário foi uma "ação controlada", combinada junto à PGR. "Os interlocutores tratam do ex-deputado federal Eduardo Cunha, que se encontra preso. Joesley afirma que tem procurado manter boa relação com o ex-parlamentar, mesmo após sua prisão.

Temer confirma a necessidade dessa boa relação: 'tem que manter isso, viu'. Joesley fala que segue pagando propina 'todo mês, também' ao Eduardo Cunha, acerca da qual há anuência do presidente da República", descreve a PGR no texto a que O Globo teve acesso.

No entendimento de Janot, esse diálogo indica que o ex-presidente da Câmara poderia revelar fatos comprometedores sobre o grupo. Temer nega as acusações e já ressaltou que não pretende renunciar do cargo.

BN
O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, chegou a pedir a prisão do senador Aécio Neves (PSDB-MG), mas o ministro Edson Fachin, responsável pela relatoria da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), determinou apenas o afastamento do Senado.

Ele afirmou que a prisão é assunto para ser decidido no plenário do STF. O senador é acusado de pedir R$ 2 milhões ao empresário Joesley Batista para pagar despesas com um advogado (veja aqui).

No entanto, o dinheiro teria sido enviado a outro senador, Zezé Perrella (PMDB-MG). Nesta manhã (18), a Polícia Federal (PF) cumpriu mandados de busca e apreensão nos gabinetes e imóveis relacionadas aos parlamentares. Já a irmã de Aécio, Andrea Neves já foi presa pela PF.

O Projeto de Lei 22.226/17, que propõe a atualização dos limites das suas divisas intermunicipais dos municípios de Érico Cardoso e Rio de Contas, localizados na Chapada Diamantina, foi aprovado por unanimidade pelos deputados da Assembleia Legislativa.

O relator do projeto, deputado Luciano Ribeiro, ressaltou a importância e os benefícios desta aprovação. “A população que lá vive terá suas atividades diárias regulamentadas e saberá o município que de fato será atendida, além da definição das finanças municipais”, salientou.

BN
Pesquisa inédita do Ibope mostra que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) voltou a ser o presidenciável com maior potencial de voto entre nove nomes testados pelo instituto.

Pela primeira vez desde 2015, os eleitores que dizem que votariam nele com certeza (30%) ou que poderiam votar (17%) se equivalem aos que não votariam de jeito nenhum (51%), considerada a margem de erro. Desde o impeachment de Dilma Rousseff, há um ano, a rejeição a Lula caiu 14 pontos.

A pesquisa foi feita antes de vir a público a lista do ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal, com as delações de executivos da Odebrecht que acusaram o ex-presidente de corrupção, junto com dezenas de outros políticos.

Se a divulgação das denúncias prejudicou a imagem de Lula (e de outros denunciados), não houve tempo de isso ser captado pelo Ibope, informa o Estadão.

Os três principais nomes do PSDB, por sua vez, viram seu potencial de voto diminuir ao longo do último ano e meio. Desde outubro de 2015, a soma dos que votariam com certeza ou poderiam votar em Aécio Neves despencou de 41% para 22%.

O potencial de José Serra caiu de 32% para 25%, e o de Geraldo Alckmin foi de 29% para 22%. Os três tucanos aparecem na pesquisa com taxas de rejeição superiores à de Lula: 62%, 58% e 54%, respectivamente.

O Ibope testou pela primeira vez o potencial do prefeito de São Paulo, João Doria, em uma eleição para presidente. Embora seja muito menos conhecido do que seus colegas de PSDB (44% de desconhecimento, contra 24% de Alckmin e 16% de Serra e Aécio), Doria tem 16% de eleitores potenciais (6% votariam com certeza). Mas sua vantagem é ter uma rejeição muito menor que a dos concorrentes dentro do partido: 36%.

Aécio sofre desgaste até nos segmentos em que foi vitorioso. Desde outubro de 2015, seu potencial de voto no eleitorado de renda mais alta (acima de cinco salários mínimos) caiu de 44% para 26%. Na região Sudeste, um de seus redutos, a taxa caiu de 42% para 23%.

Assim como os nomes tradicionais do PSDB, a presidenciável Marina Silva sofreu redução de potencial de voto e aumento da rejeição. Agora, um terço dos eleitores a indicam como possível opção – eram 39% em 2015 e há um ano.

Mais de 20 inquéritos com declínio de competência pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin trazem nomes de políticos baianos. Levantamento inicial realizado pelo Bahia Notícias na listagem divulgada pelo STF aponta 19 nomes de políticos baianos, incluindo o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), o ex-governador Jaques Wagner (PT) e o ex-ministro Geddel Vieira Lima.

Havia a expectativa de que os nomes deles poderiam aparecer nos inquéritos após citações em delações premiadas de executivos do Grupo Odebrecht (veja aqui). Wagner e Geddel, inclusive, aparecem como investigados em mais de um inquérito. O governador Rui Costa (PT) não é citado nos pedidos de inquérito encaminhados pela Procuradoria Geral da República, porém o vice-governador, João Leão (PP), voltou a aparecer como suposto beneficiário do esquema do petrolão – Leão estava na primeira lista remetida por Rodrigo Janot em março de 2015.

A listagem, todavia, traz nomes até então não citados nas informações que vazaram a imprensa, a exemplo do ex-presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), Marcelo Nilo (PSL); os deputados estaduais Adolfo Viana (PSDB) e Leur Lomento Jr. (PMDB); o conselheiro do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), Mário Negromonte; os vereadores Tiago Correia (PSDB), Paulo Câmara (PSDB), Paulo Magalhães Jr. (PV), Geraldo Jr. (SD), Henrique Carballal (PV); o ex-governador Waldir Pires (PT); o vice-prefeito de Feira de Santana, Colbert Martins (PMDB); o radialista Mário Kértesz (PMDB); e ainda Geraldo Simões (PT), em um inquérito conjunto com Juçara Oliveira. Os pedidos de inquérito foram remetidos por Fachin para a Justiça Federal em 1ª Instância e para o Tribunal Regional Federal da 1ª Região.