Login to your account

Username *
Password *
Remember Me
Quinta, 02 Abril 2020
Muito Nublado

20°C

Condeúba

Muito Nublado

Umidade: 95%

Vento: 5 km/h

O secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson Oliveira, deu mais detalhes neste domingo (22) sobre os novos testes rápidos para coronavírus que chegarão nas próximas semanas ao Brasil.

Oliveira reafirmou o que disse no sábado (21): que os profissionais de saúde terão prioridade nesses testes, que dão os resultado em minutos.

O objetivo é verificar quais desses profissionais que tenham apresentado algum sintoma foram contaminados pelo coronavírus e quais podem retornar ao trabalho.

Ele afirmou que os novos testes são produzidos por uma empresa chinesa e são aprovados por agências reguladoras da China e pela Comissão Europeia, mas ainda não são validados pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

"Por isso, nós temos o uso para o teste rápido muito limitado", explicou Oliveira. "Ele é um teste para vigilância epidemiológica."

Os kits, segundo o secretário, serão doados pela Vale.

Oliveira disse ainda que o governo se prepara para aumentar os testes do tipo PCR, que permitam diagnóstico clínico e em tempo real e sejam realizados por máquinas, preferencialmente sem a necessidade de interação humana, para evitar manipulação de material.

A intenção, segundo Oliveira, é aumentar o número de testes desse tipo para quando a epidemia chegar ao auge no Brasil, "pensando numa escala de 30 mil a 50 mil exames por dia".

FONTE: G1

A Secretaria Municipal de Saúde já registrou em Vitória da Conquista, até às zero hora desse sábado (21), 62 casos notificados com suspeita clínica e epidemiológica de infecção pelo Novo Coronavírus (Covid-19). Até o momento, 16 foram descartados laboratorialmente e nenhum caso foi confirmado, de acordo com o boletim atualizado emitido hoje (22) pela Diretoria de Vigilância em Saúde. A divulgação dos resultados dos exames é de responsabilidade do Governo do Estado da Bahia. As amostras coletadas estão sendo enviadas diariamente para o Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen), em Salvador, onde são realizados exames de biologia molecular para detectar o Covid-19. Os números de casos suspeitos aumentaram após a ampliação dos critérios adotados pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (CIEVS/BA) que inclui viajantes, que nos últimos 14 dias, retornaram de áreas de transmissão comunitária nacional e internacional. A Secretaria Municipal de Saúde disponibiliza um Call Center para tirar dúvidas da população sobre o Covid-19 e atender pessoas que estiveram em viagem para as áreas de transmissão ou em contato com pessoas desse perfil, apresentando febre ou, pelo menos, um sintoma respiratório.

FONTE: Blog do Anderson

Um áudio vazado do governador Rui Costa (PT) revelou que um médico com diagnóstico de coronavírus prestou atendimentos nas cidades baianas de Cardeal da Silva, Entre Rios, Esplanada, Acajutiba e Catu

No diálogo, a secretária municipal de uma das cidade diz que a clínica particular onde o médico realizou atendimento não queria ceder os pacientes que ele teve contato. "Ela está colocando vários empecilhos para fornecer", diz ela.

O governador então sobe o tom e diz que caso a clínica não forneça a lista, ele iria "mandar a vigilância sanitária fechar a clínica". "Vou fazer a requisição administrativa da clínica. Em paralelo a isso vá na rádio peça que quem foi atendido por esse médico procure a secretaria de Saúde do Estado. Dê um prazo a ele de duas horas", completou Rui Costa.

O governo do estado disse já estar trabalhando em conjunto com os municípios para identificar e localizar todos os pacientes "que tiveram contato com o médico que testou positivo para o novo coronavírus". "O médico realizou atendimentos em clínicas particulares destas cinco cidades do Litoral Norte, mas teve o diagnóstico confirmado em Salvador, após exame no Laboratório Central de Saúde Pública da Bahia (Lacen-BA)", explica o comunicado.

Já o governador Rui Costa revelou que entrou em contato por telefone com diversos gestores municipais para garantir que todas as pessoas que tiveram contato com o médico infectado, incluindo os funcionários das clínicas, sejam rapidamente localizados e colocados em quarentena, para evitar a disseminação da Covid-19 no Litoral Norte.

FONTE: Bahia Notícias

Um estudo publicado na terça-feira (17) na revista científica "New England Journal of Medicine" afirma que o coronavírus responsável pela doença Covid-19 consegue sobreviver até 3 dias em algumas superfícies, como plástico ou aço

O estudo foi realizado por cientistas dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), da Universidade da Califórnia, de Los Angeles e de Princeton. O trabalho avalia a resistência do vírus em cinco materiais diferentes, e mostra que o novo coronavírus fica "mais estável" em plástico e aço inoxidável, que são materiais bastante utilizados no dia a dia da população.

Veja o tempo de sobrevivência do novo coronavírus em cada material, de acordo com este estudo.

·Aço inoxidável: 72 horas
·Plástico: 72 horas
·Papelão: 24 horas
·Cobre: 4 horas
·Aerossolizada / Poeiras: 40 minutos a 2 horas 30 minutos

A pesquisa simulou pessoa tossindo ou espirrando usando um nebulizador, e descobriu que o vírus se tornou uma espécie de poeira - suas partículas ficam suspensas no ar - tornando-o detectável por quase três horas.

Segundo a AFP, um artigo feito por cientistas chineses descobriu que uma forma aerossolizada do novo coronavírus estava presente nos banheiros de pacientes de um hospital de Wuhan. Segundo estudos, o novo coronavírus é eliminado nas fezes.

Ainda segundo a agência, uma forma aerossolizada de SARS foi responsável por infectar centenas de pessoas em um complexo de apartamentos em Hong Kong, em 2003, quando uma rede de esgoto vazou para um ventilador de teto, criando uma fumaça carregada de vírus.

Tecidos

Flavio Fonseca, virologista e integrante do centro de pesquisa em vacinas da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), explica que não há estudos sobre a viabilidade deste vírus em diferentes tipos de tecidos. Mas os trabalhos com outros patógenos apontam que, de forma geral, os vírus podem ter sobrevida de 72 a 96 horas nos panos.

O professor Júlio Borges, do Instituto de Química da Universidade de São Paulo (USP) de São Carlos, explica que roupas que são suspeitas de estarem infectadas devem ser desinfetadas com água e sabão e, de preferência, lavadas com água quente.

Borges, explica que se algum dos elementos que efetivam a ação do sabão estiver em falta - pequena quantidade de sabão ou pouco tempo de molho - o vírus pode permanecer na roupa, ou passar para outra, caso não seja lavado em separado.

Plásticos e itens congelados

Fonseca explica que os vírus são estruturas muito simples, que têm mais facilidade em sobreviver do que uma célula, por exemplo. Isso reflete na capacidade que eles, em geral, têm para se manter mesmo em itens congelados, como sobre a superfície de objetos colocados no freezer ou no congelador.

FONTE: G1

 

O Ministério da Saúde estima que o coronavírus matará 0,8% dos brasileiros que contraírem a doença. O número é equivalente a oito mortos para cada mil infectados pelo vírus.

De acordo com o jornal O Globo, a estimativa tem por base a taxa de letalidade verificada na China: 3,5%. O percentual chinês se refere aos casos oficialmente computados, e sabe-se que a subnotificação de Covid-19 tem sido gigantesca mundo afora.

No Brasil, o índice de 0,8% está relacionado ao total de vítimas do vírus, levando-se em consideração quem vai procurar atendimento e aqueles que, embora contaminados, não vão informar o problema às autoridades, seja por desconhecimento, incapacidade ou negligência.

FONTE: Bahia Notícias

O presidente Jair Bolsonaro usou máscara em uma transmissão ao vivo que fez no início da noite desta quinta-feira (12) por uma rede social.

Ele estava acompanhado do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, e de uma intérprete de libras, ambos também de máscaras.

Durante a transmissão, o presidente falou sobre a pandemia de coronavírus.

"Estou de máscara porque uma das pessoas que veio no meu voo desceu em São Paulo, fez exames e deu positivo. Não tem o resultado do meu ainda. Estão dizendo que deu negativo. Tomara que esta fake news seja verdade", afirmou.

Nesta quinta, o Palácio do Planalto informou que o secretário de Comunicação da Presidência da República, Fabio Wajngarten, contraiu o vírus. Ele está em isolamento domiciliar em São Paulo.

Wajngarten integrou a comitiva presidencial que viajou para os Estados Unidos na semana passada. Ele teve contato com o presidente norte-americano Donald Trump, que disse não ter preocupação.

Devido ao teste positivo de Wajngarten, os integrantes da comitiva – inclusive Bolsonaro, a primeira-dama Michelle e familiares do presidente – se submeteram ao teste para identificação do coronavírus.

Ao menos um caso segue sob investigação da Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab) para a possibilidade de contaminação por coronavírus na cidade de Itabuna. Trata-se de uma criança de menos de um ano, que esteve na Europa em viagem com a família e retornou a Itabuna há 12 dias. O bebê encontra-se em isolamento no Hospital Manoel Novaes e a equipe médica segue os protocolos recomendados pelo Ministério da Saúde.

Um outro caso, em Jequié, já foi descartado pela Sesab. Uma freira que esteve recentemente na Itália apresentou quadro febril e sintomas de problemas respiratórios, porém o resultado deu positivo para contaminação por H1N1. A religiosa está no Hospital Geral Prado Valares.

Por meio de nota, a Sesab informou que “os pacientes encontram-se estáveis, em isolamento (respiratório/contato) dentro das unidades, não ocasionando riscos para nenhum outro paciente internado na instituição, bem como para nenhum de seus colaboradores”. “A vigilância epidemiológica está monitorando os contatos dos pacientes e adotando as medidas de precaução cabíveis até que o diagnóstico seja definido”, informou a pasta.

FONTE: Bahia Notícias

Ao destacar os 1,8 mil casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave causada pelo H1N1 e Influenza B, além das 380 ocorrências de morte na Bahia por gripe em 2019, o secretário estadual de Saúde (Sesab), Fábio Vilas-Boas, chamou a atenção da população para o perigo da doença, muita vezes minimizado. “As pessoas tem que ter medo de gripe”, disse ao descartar possibilidade de epidemia de coronavírus no Carnaval deste ano.

Na avaliação do secretário, a preocupação da população baiana e dos visitantes durante o Carnaval deve recair sobre a transmissão das Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs) e vírus que causam doenças respiratórias.

“A epidemia está contida na Ásia, portanto não há nenhuma razão para qualquer pessoa pensar em algum risco de se contaminar com o coronavírus no Carnaval. A preocupação deve continuar sendo contágio com HIV, Aids, Hepatite viral B e C, e Sífilis. Que é o que se pega no Carnaval”, disse o titular da Sesab.

Mesmo com aumento de 600% nos casos de dengue no estado em 2019, o secretário rejeita a possibilidade de declarar estado de epidemia. A justificativa de Fábio Vilas-Boas foi baseada no histórico da doença. “A dengue é cíclica, tem ano que tem muito, no outro tem menos. Nós não temos nenhuma evidência de epidemia”, assegurou.

O secretário ainda afirmou que é positiva a proposta da ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, de estimular que adolescentes retardem o início da vida sexual. “Evidente que desestimular o contato sexual precoce é algo desejável”, disse Vilas-Boas, ao ponderar que essa não deve ser a única política adotada para lidar com o problema de gravidez precoce e ISTs entre adolescentes. “Cabe ao estado prover todas as informações. Tanto no sentido de orientação e educação sexual, quanto todos os instrumentos necessários para proteção para que se tenha um sexo seguro”, completou.

FOTO: BAHIA NOTÍCIAS