Login to your account

Username *
Password *
Remember Me
Quinta, 20 Fevereiro 2020
Parcialmente Nublado

25°C

Condeúba

Parcialmente Nublado

Umidade: 65%

Vento: 10 km/h

×

Atenção

JUser: :_load: Não foi possível carregar usuário com ID: 42



Geddel sobre Neto e Paulo Souto: “não há chance de não estarmos unidos” Destaque

Publicado por     |   30 Jul 2013
  |  

A confirmação de que o presidente do PMDB, na Bahia, Geddel Vieira Lima, será o "cabeça" da chapa de oposição com a presença ativa do prefeito de Salvador, reforça a teoria de que no segundo turno das eleições municipais no ano passado, enquanto ainda era candidato, ACM Neto (DEM) teria se comprometido em apoiar o peemedebista em troca do apoio na segunda fase das eleições, embora ambos neguem o pacto.

Em clima de campanha, o peemedebista acompanhou Neto na entrega de 500 escrituras de imóveis no Bairro de Paz no sábado (27). Além do possível apoio de Neto, o pré-candidato ao governo em 2014, revelou em seu Twitter que também conta com a ajuda do ex-governador da Bahia. “Tive uma ótima conversa com Meu amigo Paulo Souto e lamento ñ poder fazer amanhã a primeira viagem conjunta a Cruz das Almas Mas agora vamos palmilhar essa Bahia juntos, conversando com nossa gente (sic)”, publicou.

Na manhã desta segunda-feira (29), Geddel comentou em entrevista à rádio Povo de Jequié que não há hipótese dele disputar o governo com Neto ou Souto. “Eu já disse aos dois. Eu tenho absoluta certeza que vamos estar unidos. Tenho conversado com Paulo. Não há chance de não estarmos unidos na eleição do ano que vem”, pontua. E ressalta: “eu busco apoio de ACM Neto. Tenho conversado muito com ele e recebido retorno. Tenho tido com Neto uma relação franca, clara. Estou buscando apoio, mas já disse que desejo ser governador”.

Geddel comentou ainda que enxerga com naturalidade a aproximação de ACM Neto e o governador Jaques Wagner (PT). “Proximidade é normal e natural. São adversários políticos em outros partidos. Eles têm que se entender mesmo. Eleição é na hora da eleição. E se isso gera ciúme bobo, paciência. Problema de quem fica fazendo picuinha politica. É absolutamente natural que tem que se entender, tomando soluções conjuntas. Vão fazer o que? Ficar brigando, não se falar?”, ironiza.

Nota originalmente postada às 10h do dia 29

Fonte: Bocão News

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.