Login to your account

Username *
Password *
Remember Me
Quinta, 06 Agosto 2020
Muito Claro

13°C

Condeúba

Muito Claro

Umidade: 88%

Vento: 11 km/h

×

Atenção

JUser: :_load: Não foi possível carregar usuário com ID: 42



ARTIGO: A sociedade brasileira e o abismo do fanático mundo partidário

Publicado por     |   25 Mai 2017
  |  

Por Leandro Flores

Sou do tipo que não se enquadra em nenhum tipo de “encaixotamento” político, religioso ou ideológico. Simplesmente não consigo fechar os meus olhos, escolher um lado e achar que quem não concorda comigo (ou que quem escolheu o outro lado no qual eu não me encontro) esteja errado e que eu deva combater veementemente até convencê-lo de seus equívocos... Não. Não, não sou o dono da verdade. Até porque a verdade, muitas das vezes é relativa. Vai depender do ângulo de observação.

Quando se trata de política então, a coisa fica mais relativa do que nunca. Quem em sã consciência intelectual ou cultural vá afirmar categoricamente que o que se passa atualmente com o nosso país seja apenas um objeto de POSICIONAMENTO POLÍTICO? Que quem seja a favor de uma determinada lógica política esteja completamente com a razão e que o outro lado seja o usurpador, o alienado ou o ladrão da história?

Passamos por uma turbulência que certamente será histórica e decisiva para o futuro de nossa tão estimada “Pátria amada”. O Brasil vive uma crise que ultrapassa a área econômica, financeira, política, ética, moral... É uma crise existencial. Não podemos escolher um lado do galho e ficar jogando pedra em quem está do outro lado, buscando o mesmo objetivo. É preciso que haja respeito e tolerância se quisermos encontrar realmente um caminho para se sair da beirada do precipício.

Vivemos uma aberração total de valores em todos os sentidos. Seja de tolerância e aceitação, seja na razoabilidade do posicionamento intelectual. Pensar, agir e ser, acabou sendo uma questão de sobrevivência humana. Aquela capaz de criar e recriar mecanismo de aceitabilidade conjuntiva e de transformação social e cultural e que determina a harmonização da convivência. Há um abismo enorme se abrindo ao nosso redor e não nos damos conta que uma força invisível empurra-nos catastroficamente para esse abismo. No momento sentimos apenas o cheiro podre de “enxofre” e a fumaça obscura das conjunções. Mas ele existe e é inevitável. E não adianta, escolher um lado. TODOS NÓS BRASILEIROS INCONSCIENTEMENTE ESTAMOS CAMINHANDO PARA ESSE MESMO ABISMO... Recitando a mesma cartilha da ignorância e da velha truculência política partidária.

A principal questão é: de quem é a culpa? Qual é a força que nos empurra para o submundo das abominações irrestritas da racionalidade? A primeira reação seria colocar a culpa no outro (um arquétipo descrito e carimbado desde a criação do mundo). Mas se formos capazes de analisar a situação por outros ângulos veremos a nossa cara em todo esse processo. Sim. Fomos nós que construímos esse abismo e somos nós os causadores desse tenebroso episódio suicida. Os “odores” nada mais são do que a nossa hipocrisia e a falta de senso e de percepção da realidade que nos cerca. Tudo isso, já estava criado e pronto para emergir a qualquer momento. Infelizmente chegou a hora e se não acordamos a tempo seremos tragados irremediavelmente para o fundo do poço. E aí só Deus saberá se ainda teremos força para sobrevivência.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

X

Proteção de Conteúdo

Conteúdo protegido por direitos autorais. Para obter autorização de reprodução, envie um e-mail para [email protected]