Login to your account

Username *
Password *
Remember Me
Segunda, 01 Junho 2020
Muito Claro

15°C

Condeúba

Muito Claro

Umidade: 90%

Vento: 4 km/h

A procuradora-geral de Justiça da Bahia, Ediene Lousado, expediu recomendações aos prefeitos em exercícios, que terão seus mandatos encerrados em 2016 e aos presidentes das Câmara de Vereadores, para que instaurem comissões de transição, conforme determina o Tribunal de Contas dos Municípios da Bahia.

O objetivo é que aos prefeitos forneçam todos os dados necessários “à plena, normal e tranquila mudança de comando”. A recomendação também é expedida aos prefeitos eleitos para que integrem as comissões de transição, e realizem as devidas comunicações e informações ao Ministério Público e aos Tribunais de Contas, relativas às providências que forem requisitadas, às orientações e recomendações outras porventura expedidas no desiderato do cumprimento das regras legais asseguradoras de uma gestão pautada no interesse público e no atendimento às necessidades essenciais da população.

A procuradora-geral também recomendou que os membros do Ministério Público da Bahia (MP-BA) deem atenção especial nas investigações de denúncias de irregularidades nas administrações municipais, “especialmente em relação àquelas cujas circunstancias fáticas apresentadas possam ser tidas como ações voltadas ao objetivo de dificultar ou inviabilizar a normal continuidade da prestação dos serviços públicos por parte dos gestores a serem empossados no dia 1º de janeiro de 2017”.

O deputado federal Lúcio Vieira Lima (PMDB) comemorou o êxito da candidatura de Herzem Gusmão (PMDB) para prefeito de Vitória da Conquista, no sudoeste baiano, neste domingo (30). O candidato derrotou no segundo turno o candidato do PT, Zé Raimundo, que tentativa a busca do sexto mandato consecutivo da legenda petista na cidade.

Em vídeo publicado nas redes sociais, o parlamentar federal repetiu o discurso que Herzem usou durante a campanha ao falar de libertação. "Ganhamos com gostinho especial, o gosto da libertação. Conquista estava há 20 anos sob o comando do PT, agora, chega de mentira, chega de má gestão, chega de fazer todo tipo de manobra para se perpetuar no poder", alfinetou.

Lúcio Vieira ainda traçou um paralelo entre as mudanças no cenário político em esferas governadas pelo PT. Em sua fala, previu já o resultado das eleições de 2018 aqui na Bahia: "O Brasil se libertou com Michel Temer presidente, agora, é a vez de Vitória da Conquista, e com certeza, em 2018 será a vez da Bahia".

As informações são do Bocão News

Dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) dão conta de que o PSDB foi o partido que mais elegeu prefeitos no segundo turno das eleições municipais deste ano. Foram 14 prefeituras conquistadas, de um total de 19 em que o partido disputava o cargo. Já o PT, que disputava sete prefeituras, não elegeu nenhum candidato.

O PSDB só perdeu em Belo Horizonte, Campo Grande, Cuiabá, Caucaia (CE) e Franca (SP). O principal revés foi na capital mineira, em que João Leite, que terminou à frente no 1º turno, levou a virada no segundo e perdeu a disputa para Kalil (PHS).

Em seguida, no ranking dos partidos que mais elegeram prefeitos neste segudo turno, aparece o PMDB. A sigla elegeu nove prefeitos de um total de 15 disputas. Já o PPS, que aparece em terceiro lugar com cinco prefeitos eleitos, havia disputado sete prefeituras.

Os tucanos venceram em Belém (PA), Blumenau (SC), Caruaru (PE), Contagem (MG), Jundiaí (SP), Maceió, Manaus, Porto Alegre, Porto Velho, Ribeirão Preto (SP), Santa Maria (RS), Santo André (SP), São Bernardo do Campo (SP) e Vila Velha (ES).

Se forem levados em conta os dois turnos, os números do PSDB são ainda melhores. O partido elegeu 28 prefeitos nas cidades com mais de 200 mil eleitores, o que inclui as capitais do país. Já o PT conseguiu apenas uma prefeitura nesses municípios.

O PT aparece em trajetória de queda desde 2008, quando elegeu o maior número de prefeituras nesses municípios: 20 ao todo. Em 2012, passou para 17 e, agora, para um eleito. Em 2008, o PSDB elegeu 13 prefeitos, passou para 19 e, neste pleito, terá 28.

Bocão News

O candidato à Prefeitura de Vitória da Conquista, Herzem Gusmão (PMDB), foi eleito para gerir a cidade pelos próximos quatro anos. Ele venceu o segundo turno eleitoral com 95.710 votos, ou seja, (57,58%). O resultado foi divulgado oficialmente às 19h58, deste domingo (30/10), pelo Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA), quando 100% das urnas estavam apuradas.

Todo o trabalho das três zonas da região (39ª, 40ª e 41ª) durou quase três horas. A disputa foi contra o candidato Zé Raimundo (PT) que ficou para trás com 70.513 (42,42%) votos. Nesse pleito, um total de 178.141 (77,25%) cidadãos compareceram às urnas, 52,457 (22,75%) se abstiveram, 8.516 (4,78%) votaram nulo e 3.402 (1,91%) em branco.

Bahia Notícias
Uma pesquisa do Instituto Painel sobre o segundo turno em Vitória da Conquista dá em primeiro lugar o candidato do PMDB, Herzem Gusmão. O deputado e radialista aparece com 64,75% das intenções de voto. O também deputado estadual José Raimundo, do PT, vem abaixo com 35,25%.

De acordo com o Blog do Anderson, o levantamento foi registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o número 03299/2016, e foi realizada entre os dias 22 e 24 de outubro. A margem de erro é de 3,27% e o nível de confiança chega a 95%.

As eleições de segundo turno da cidade de Vitória da Conquista, no Sul da Bahia, começam a revelar os números a partir da pesquisa feita pelo Instituto Painel Brasil. Foi divulgada nesta quarta-feira (19) a pesquisa registrada no TSE sob o numero 07310/2016, na qual aponta a vitória de Herzem Gusmão (PMDB).

Na pesquisa espontânea, o peemedebista obteve 54,9% dos votos, contra 29% do petista Zé Raimundo. Já na espontânea com os votos válidos, Herzem obteve 65,44% contra 34,56% de Zé Raimundo.

Já na pesquisa estimulada, o peemedebista obteve 55,50% dos votos contra 29,50% de Zé Raimundo. Já com os votos válidos da estimulada, Herzem Gusmão obteve 65,29% dos votos contra 34,71% de Zé Raimundo. Brancos e nulos somam quase 15%. A pesquisa ouviu 1.000 eleitores em um universo de 230.598 existente entre os dias 15 e 17 de outubro. A margem de erro é de 3,10%.

O deputado federal Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA) será o presidente da comissão especial na Câmara que debaterá propostas sobre a reforma política. A previsão é de que o colegiado seja instalado na próxima semana. O relator será o deputado Vicente Cândido (PT-SP).

Em acordo firmado entre o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) na semana passada, deputados e senadores devem analisar simultaneamente propostas sobre reforma política, que devem ser votadas até o fim do ano nas duas Casas.

O Senado deve analisar Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que estabelece o fim das coligações em eleições proporcionais e a instituição de uma cláusula de barreira (norma que restringe o funcionamento parlamentar de sigla que não alcançar determinado porcentual de votos).

A situação do Partido dos Trabalhadores ganha contornos inimagináveis quando se toma como base cerca de dois meses e meio atrás, quando Lula ainda não era réu de processos e o partido não tinha experimentado a queda não esperada nas recentes eleições municipais. De repente, tudo ficou confuso e complicado para o PT. Lula passou a ser réu em três processos penais, o último deles nesta quinta-feira (13). Provavelmente poderá a responder a mais três, ou quatro, todo previsíveis. O líder e criador da legenda agora se nega a presidir o partido. Até aqui não há outro nome com a sua dimensão. De certo modo, ele parece ter plena noção de que se for o comandante, como diversos integrantes do partido desejam, mais adiante a sua situação poderá vir a se complicar se for levado à prisão. Muitos nomes petistas estão em debandada. Com a perda de adeptos, as possibilidades de que a legenda definhe são enormes, principalmente os políticos que ingressaram na legenda na expectativa de se elegerem a cargos eletivos. A queda que ocorreu nas eleições municipais, muito maior do que o esperado, lançou uma pá de cal sobre o partido, que será muito maior se se Lula chegar a ser preso, o que está certamente dentro das suas expectativas. A crise que se abateu sobre a Petrobrás a partir da deslavada corrupção envolveu os partidos políticos em todas as esferas, mas principalmente, o Partido dos Trabalhadores, daí os processos que o ex-presidente passará a responder, cujos sintomas atingirão com força a sua legenda. Serão necessárias mudanças em todos os aspectos para que o partido possa renascer.

X

Proteção de Conteúdo

Conteúdo protegido por direitos autorais. Para obter autorização de reprodução, envie um e-mail para [email protected]