Login to your account

Username *
Password *
Remember Me
Segunda, 22 Outubro 2018
17°C

Condeúba

Nublado Humidade: 88%
Vento: E12.87 km/h
×

Atenção

JUser: :_load: Não foi possível carregar usuário com ID: 314

JUser: :_load: Não foi possível carregar usuário com ID: 219

A seleção brasileira teve sua primeira prova de fogo nesta Copa do Mundo. E passou raspando. Dominada na maior parte do jogo, sofreu demais diante do antigo 'freguês' Chile e empatou por 1 a 1 no tempo normal. Nos pênaltis, porém, brilhou a estrela de Júlio César. O goleiro defendeu três cobranças, salvou o Brasil de uma eliminação precoce e classificou os anfitriões para as quartas de final.

Contestado antes do Mundial por atuar na fraca liga dos Estados Unidos, o camisa 12 deixou o Mineirão como o grande herói do Brasil até aqui na Copa. Uma classificação no sufoco, dramática. Com a dificuldade que Felipão, desde o sorteio das chaves, já havia anunciado. Mas que põe o Brasil no caminho de um possível reencontro com seu passado: 64 anos depois, pode novamente enfrentar o Uruguai em uma Copa em casa. Para isso, basta que os antigos rivais eliminem a Colômbia neste sábado, às 17h. Chance de finalmente exorcizar o 'Fantasma de 1950'.

As fases do jogo: O Brasil finalmente conseguiu colocar em prática a tática utilizada na Copa das Confederações. Marcou forte a saída de bola do adversário, pressionou e abriu o placar no início do jogo. Após cobrança de escanteio, Jara empurrou contra as próprias redes em disputa com David Luiz (gol foi dado para o brasileiro). O Brasil era melhor no jogo, o segundo era questão de tempo. Mas uma inacreditável bobeada defensiva trouxe emoção à partida. Marcelo e Hulk se atrapalharam em cobrança de lateral e a bola sobrou dentro da área brasileira para Alexis Sanchez, que empatou.

O jogo ficou dramático e aberto, com chances de ambos os lados. Hulk marcou aos 9, mas a arbitragem entendeu que o atacante ajeitou no braço antes de chutar e anulou o lance. Júlio César fez milagre em chute de Aránguiz aos 19. Bravo respondeu com outro milagre cara a cara com Hulk aos 38. Bom desempenho dos goleiros que impediu que houvesse um vencedor no tempo normal.

O calor de um jogo às 13h cobrou seu preço na prorrogação. As duas equipes acusaram cansaço e os espaços surgiram. O Brasil cresceu e quase marcou com Hulk, mas novamente Bravo salvou. Os chilenos se encolheram e os minutos finais do tempo extra foram de pressão total dos donos da casa. Mas a grande chance foi do Chile: Pinilla recebeu na entrada da grande área e mandou uma bomba no travessão.

Nas penalidades, David Luiz abriu as cobranças convertendo para o Brasil. Júlio César defendeu o chute de Pinilla. Na sequência, porém, Willian chutou para fora. Alexis Sanchez também parou no goleiro brasileiro. Marcelo ampliou para os anfitriões. Aránguiz fez o primeiro gol chileno. Hulk chutou em cima do goleiro Bravo. Marcelo Díaz empatou o duelo. Neymar recolocou os donos da casa em vantagem. Na última cobrança, Júlio César pegou mais uma e garantiu a vaga brasileira.

O melhor: Júlio César - Apontado como culpado pela eliminação brasileira na Copa de 2010, o goleiro chegou à redenção logo nas oitavas de final do Mundial de 2014. O camisa 12 se agigantou nas cobranças de pênalti ao defender três cobranças. Com a bola rolando, fez uma grande defesa no segundo tempo e garantiu o empate. Uma tarde heroica.

O piorDaniel Alves – Lateral direito mais uma vez teve uma atuação ruim. Apareceu pouco no ataque, voltou a ceder espaços na defesa e ainda levou um baile de Vidal pelo lado direito. Na outra lateral, Marcelo também não esteve em uma tarde inspirada.

A chave do jogo: Marcação agressiva do Chile - Sampaoli orientou sua equipe a adiantar a marcação na saída de bola adversária e os chilenos apertaram os brasileiros desde a grande área. Foi assim que saiu o gol de Alexis Sánchez e que a equipe dominou as ações durante praticamente todo o jogo.

Toque dos técnicos: Felipão promoveu mudanças na equipe titular, com a entrada de Fernandinho na vaga de Paulinho no meio-campo. A alteração não produziu grandes resultados. O meio-campo brasileiro continuou inoperante na armação, com muitas ligações diretas defesa-ataque.

Para lembrar:

Vaias à capela. 
Os chilenos bem que tentaram imitar os brasileiros e cantar o hino após o fim da melodia. A torcida dos anfitriões, porém, sufocou o cântico com vaias.

Falso alarme. Um aviso no Twitter da Polícia Federal gerou apreensão minutos antes da partida. Enquanto jogadores aqueciam, a conta da entidade na rede social publicou que havia uma ameaça de bomba no Mineirão, que poderia ser evacuado. Minutos depois, foi revelado que hackers invadiram o sistema.

Não foi dele, mas valeu. O gol marcado por David Luiz foi o primeiro do zagueiro com a camisa da seleção brasileira. Curiosamente, porém, quem empurrou por último para as redes foi o defensor chileno Jara, e não o camisa 4 do Brasil.

Provocação no intervalo. Na saída das duas equipes do gramado, Fred deu um tapa na nuca de Medel. Irritado, o chileno foi tirar satisfação e os dois atletas tiveram que ser contidos pelos companheiros.

Desfalque nas quartas. Luiz Gustavo levou o segundo cartão amarelo e está suspenso para a partida da próxima fase.

BRASIL 1 (3) X (2) 1 CHILE

Brasil: Júlio César; Daniel Alves, Thiago Silva, David Luiz e Marcelo; Luiz Gustavo, Fernandinho (Ramires) e Oscar (Willian); Hulk, Neymar e Fred (Jô). Técnico: Luiz Felipe Scolari

Chile: Bravo; Medel (Rojas), Francisco Silva e Jara; Isla, Marcelo Díaz, Aránguiz, Vidal (Pinilla) e Mena; Vargas (Felipe Gutiérrez) e Alexis Sánchez. Técnico: Jorge Sampaoli

Data: 28/06/2014 - 13h
Local: Mineirão (Belo Horizonte)
Árbitro: Howard Webb (ING)
Auxiliares: Michael Mullarkey e Darren Cann (ING)
Cartões amarelos: Hulk, Luiz Gustavo, Jô e Daniel Alves (Brasil); Mena, Francisco Silva e Pinilla (Chile)
Gols: David Luiz, aos 17 min, e Alexis Sánchez aos 31 min do 1º tempo

O técnico Luiz Felipe Scolari mexeu na escalação da Seleção Brasileira  no primeiro treino coletivo para a partida de sábado, contra o Chile, em Belo Horizonte. A primeira mudança já era esperada: Fernandinho ganhou a vaga de Paulinho, depois de tê-lo substituído muito bem na vitória por 4 a 1 sobre Camarões. Na parte final, Felipão promoveu outras duas e ainda viu David Luiz sair, com dores nas costas.

A seleção do Uruguai levou um duro golpe na manhã desta quinta-feira (26) com a sentença da Fifa contra o seu principal jogador na Copa do Mundo do Brasil. O atacante Luis Suárez, após ter mordido o zagueiro Chiellini no ombro esquerdo, na vitória da celeste sobre a Itália, em Natal, foi punido por nove partidas e está fora do torneio.

O Código Disciplinar da Fifa permite punição ao uruguaio Luis Suárez pela mordida no zagueiro Chiellini mesmo que o árbitro Marco Rodriguez não tenha visto a agressão. O atleta do Liverpool pode ser suspenso por até 24 partidas ou dois anos pela mordida desferida no italiano no segundo tempo da partida que terminou com vitória da seleção celeste por 1 a 0 sobre a Itália.

Apoiada no talento de Neymar, a Seleção Brasileira está classificada para as oitavas de final da Copa do Mundo. Nesta segunda-feira, no Mané Garrincha, em Brasília, o Brasil venceu Camarões por 4 a 1, com dois gols do atacante, e garantiu a primeira colocação do grupo A. Fred e Fernandinho completaram, e Matip fez o de honra dos africanos.

A fase de grupos da Copa do Mundo serviu para a Holanda não só acabar com as dúvidas que a cercavam antes do Mundial, como também se credenciar como uma das favoritas ao título.

O Estádio Azteca se mudou para Recife. Ao som de “Cielito Lindo”, o México não tomou conhecimento das provocações da Croácia e mandou os europeus de volta para casa com vitória por 3 a 1, nesta segunda-feira, na Arena Pernambuco.

Para se classificar para as oitavas de final da Copa do Mundo, a seleção brasileira precisa apenas de um empate diante do já eliminado Camarões, nesta segunda-feira em Brasília.