Login to your account

Username *
Password *
Remember Me
Quarta, 27 Maio 2020
Muito Claro

17°C

Condeúba

Muito Claro

Umidade: 98%

Vento: 4 km/h

Os dados da pesquisa Istoé/Sensus, divulgados nesta sexta-feira (17), mostram uma diferença de cerca de 13% entre os candidatos Aécio Neves (PSDB) e Dilma Rousseff (PT). Segundo o levantamento, o tucano aparece com 56,4% dos votos válidos, contra 43,6% da presidente Dilma.

A diferença de 12,8% representa, aproximadamente, 19,5 milhões de votos. O certame mostrou ainda que a presidente é conhecida por 94,4% dos 2.000 entrevistados, enquanto Aécio é de 93,3%. “Com os candidatos mais conhecidos, a tendência é a de que o voto fique mais consolidado”, afirma Ricardo Guedes, diretor do Instituto Sensus.

O deputado federal mais votado da Bahia, Lúcio Vieira Lima (PMDB), agradeceu, através do seu perfil no Facebook, a votação que teve em Condeúba e prometeu união juntamente com a oposição para o sucesso do grupo nas eleições municipais de 2016.

Lúcio é destaque pela sua forte atuação como deputado e também pela sua simpatia e simplicidade com que se relaciona com seu eleitorado. Em Condeúba, o ex prefeito da cidade, Odílio Silveira e o vereador Silvan Baleeiro foram os coordenadores da da campanha do deputado, que teve 1083 votos na cidade.

No primeiro encontro público com Marina Silva – no qual a candidata derrotada surpreendeu ao aparecer sem o tradicional coque -, ocorrido na manhã desta sexta-feira, em São Paulo, o candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, afirmou viver o momento mais importante da campanha, e comparou a união com a ex-ministra à aliança que elegeu seu avô Tancredo Neves no colégio eleitoral, em 1985.

— Hoje nós temos um desafio que não é menor do que aquele (de Tancredo Neves), que é encerrar o ciclo deste governo que aí está, que perde condições de governar o Brasil, a meu ver, pelo fracasso da economia e descompromisso com a ética — declarou o tucano. — Deixo de ser um candidato de uma coligação e passo a ser o candidato de um movimento de mudança.

Depois do primeiro duelo ao vivo entre Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB) na Band, os dois presidenciáveis se confrontam novamente nesta quinta-feira (16), no SBT, a partir das 18h.

Com a apresentação e mediação do jornalista Carlos Nascimento, o debate será transmitido ao vivo pela emissora, pelo portal UOL e pela rádio Jovem Pan,  e terá a duração total de uma hora e vinte minutos, dividido em três blocos, com dois intervalos de quatro minutos cada um. Trata-se do segundo dos quatro confrontos ao vivo previstos para até sexta-feira da semana que vem, antevéspera da votação.

Na sequência, haverá ainda o da Record, no domingo, e o da Globo, último embate televisionado da corrida eleitoral. Ao contrário do primeiro turno, quando os debates não tiveram tanto reflexo sobre a audiência, o confronto de anteontem à noite sinalizou um maior interesse do telespectador em relação à disputa.

Com informações do Correio

Pesquisas Ibope e Datafolha divulgadas nesta quarta-feira (15) mostram que o candidato do PSDB, Aécio Neves, tem 51%, e a candidata do PT, Dilma Rousseff, 49% dos votos válidos no segundo turno da disputa para a Presidência da República. A margem de erro das duas pesquisas é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos. Por isso, os dois estão empatados tecnicamente.

Para calcular esses votos, são excluídos da amostra os votos brancos, os nulos e os eleitores que se declaram indecisos. O procedimento é o mesmo utilizado pela Justiça Eleitoral para divulgar o resultado oficial da eleição.

No primeiro debate entre Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB) após o primeiro turno da eleição presidencial, a presidente centrou sua artilharia nos dois mandatos do rival no governo de Minas Gerais, enquanto o tucano repetiu que a presidente fracassou no comando do país.

Irônico, Aécio disse em mais de um momento que as propostas apresentadas pela presidente para um eventual segundo mandato davam a impressão de que havia "dois candidatos de oposição" na disputa.

O tucano aproveitou para repetir diversas vezes que não acabará, se eleito, com os programas sociais do governo nem irá privatizar os bancos públicos, dois temas que são alvo constante da campanha petista.

Os presidenciáveis Aécio Neves (PSDB) e Dilma Rousseff (PT) se enfrentarão pela primeira vez no segundo turno no debate da noite desta terça-feira, 14, da TV Bandeirantes, previsto para começar às 22h15. O encontro terá 1h20 de duração e será mediado pelo jornalista Ricardo Boechat.

No começo, cada candidato terá dois minutos livres para suas considerações iniciais. Em seguida, haverá quatro blocos de perguntas e respostas em confrontos diretos e um para as considerações finais. Por serem apenas dois concorrentes no debate, o direito de resposta, quando solicitado por algum candidato, só será concedido se a eventual ofensa tiver ocorrido na última fala de cada bloco.

Agência Estado
O Estadão

Com a manifestação de apoio formal da ex-candidata Marina Silva (PSB) ao candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, os principais grupos políticos já têm suas posições definidas no segundo turno, ainda que com diversas dissidências partidárias. Uma semana após ficar em terceiro lugar na eleição presidencial, Marina declarou no domingo, em São Paulo, apoio a Aécio.

Em seu pronunciamento, ela afirmou que a decisão teve como base a carta de compromissos anunciada pelo tucano no sábado e que "a alternância de poder fará bem ao Brasil". Também no fim de semana, a família de Eduardo Campos recebeu o tucano em Pernambuco e o filho do ex-candidato, João Campos, leu carta de apoio a Aécio.

X

Proteção de Conteúdo

Conteúdo protegido por direitos autorais. Para obter autorização de reprodução, envie um e-mail para [email protected]