Login to your account

Username *
Password *
Remember Me
Domingo, 09 Dezembro 2018
18°C

Condeúba

Nublado Humidade: 98%
Vento: ESE16.09 km/h

A seis dias da eleição, uma nova pesquisa Ibope para presidente mostrou o candidato Jair Bolsonaro (PSL) na liderança isolada com 31% das intenções de voto. No estudo divulgado nesta segunda-feira (1°), o militar cresceu 4% em relação a última pesquisa divulgada pelo instituto.

Em segundo lugar, o nome do PT na disputa, Fernando Haddad, se manteve com 21%. A seguir aparecem Ciro Gomes (PDT), que oscilou de 12% para 11% e Geraldo Alckmin (PSDB), que manteve seus 8%. Marina Silva (Rede) passou de 6% para 4%, alcançou sua taxa mais baixa desde o início da campanha e empatou tecnicamente com João Amoedo (Novo).

O Ibope ouviu 3.010 eleitores, em 208 municípios, entre os dias 29 e 30 de setembro. A margem de erro máxima é de dois pontos porcentuais, e o nível de confiança, de 95%. O levantamento foi registrado no Tribunal Superior Eleitoral sob o protocolo BR–08650/2018.

O prefeito de Vitória da Conquista, no sudoeste, Herzem Gusmão, resolveu se antecipar e declarou voto no deputado federal Jair Bolsonaro, caso o candidato vá para o segundo turno. Conforme o Blog do Anderson, a declaração foi feita na noite desta segunda-feira (1°) em uma reunião no comitê de um vereador, que é candidato a deputado estadual. Herzem disse preferir o ex-capitão do Exército ao PT.

“Eu estimulei o voto útil em todos os níveis. Agora, declarei apoio a Bolsonaro no segundo turno e declarei que nosso adversário é o PT. Portanto, eu estive no evento de Henrique Meirelles, apontei a importância do voto em João Santana, mas no segundo turno estou declarando meu apoio a Bolsonaro”, disse ao Blog.

A atriz Regina Duarte deu indícios de que participou de ato em favor do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), realizado neste domingo (30), na avenida Paulista, em São Paulo. O evento foi uma resposta a manifestações contrárias ao candidato promovidas por mulheres em todo o país no sábado (29), parte do movimento #EleNão.

Em seu Instagram, a atriz, que é conhecida por ser opositora ao PT, postou dois vídeos que indicam apoio a Bolsonaro. Um deles mostra pessoas fazendo exercícios no parque Ibirapuera. Na legenda, ela escreveu: "Hoje pela manhã, antes da chuva , foi domingão paulista com parque, manifestação e chuva forte". Em outro vídeo, ela gravou imagens da chuva e, na sequência, mostrou uma bandeira do Brasil. Também postou críticas ao PT.

No sábado (29), ela se manifestou contra o movimento #EleNão, que reuniu milhares de pessoas em mais de 30 cidades do país. Também em seu Instagram, postou uma imagem de um palhaço e a frase: "As 'Ele Não' não revelam qual é o 'Ele sim' delas".

Os atos contra Bolsonaro reuniram várias celebridades, como Bruna Linzmeyer, Paula Lavigne, Letícia Sabatella, Sophie Charlotte e o marido, Daniel de Oliveira, Paula Burlamaqui, Nanda Costa, Juliana Alves, Débora Lamm, Françoise Forton, Fernanda Paes Leme entre outros artistas.

Regina Duarte costuma causar polêmica por suas posições políticas. Em 1985, ela apoiou Fernando Henrique Cardoso (PSDB) à Prefeitura de São Paulo. Em 2002, participou do programa eleitoral do então candidato à presidência José Serra (PSDB), quando falou a famosa frase "Estou com medo", em relação a uma possível vitória de Lula (PT). Em 2014, a atriz declarou apoio ao candidato Aécio Neves (PSDB).

Em algumas cidades do Brasil a Polícia Federal e o Ministério Público entraram em ação para apreender materiais de campanha que trazem o ex presidente Lula como candidato, no lugar de Haddad. Embora essas operações tenham sido noticiadas em todos os jornais de grande circulação, em Condeúba, alguns grupos políticos não se intimidaram e continuam agindo livremente na tentativa de enganar o eleitorado, especialmente àquela parcela com menor acesso à informação.

O real candidato pela chada do PT é Fernando Haddad, ex prefeito de São Paulo, que foi derrotado por João Dória (PSDB) na sua reeleição mas, santinhos que trazem o número do Deputado Estadual Fabrício Falcão (PCdoB) e do Deputado Federal Daniel Almeida (PCdoB) são distribuídos no município colocando Lula como o candidato à presidência. Da forma que está sendo feita, configura-se propaganda irregular e pode confundir o eleitorado.

Segundo um presidente de partido do município de Condeúba, que pediu para que não fosse revelada sua identidade, os vídeos e fotos das ações de distribuição de Santinhos no Distrito do Alegre foram encaminhados juntamente com uma denúncia para a justiça eleitoral.

"O povo não está mais bobo para se enganar dessa forma, só pega mal para os políticos que fazem esse tipo de política, suja, sem o menor respeito às leis e nem mesmo aos seus eleitores. A tentativa é clara de enganação. Nós coletamos os materiais probatórios e já levamos à justiça... em Vitória da Conquista a Polícia Federal entrou em ação por uma denúncia semelhante e esperamos que aqui seja da mesma forma, para garantir lisura ao processo político. O povo merece a verdade, chega de ser enganado por políticos sem compromisso com a verdade. Isso é um apelo muito baixo e desonesto." desabafou.

As cotistas dos fundos dos programas de Integração Social (PIS) e de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep) têm até esta sexta-feira (28) para sacar o benefício fora dos critérios previstos em lei.

Pela Lei 13.677/2018, a partir deste sábado (29) os saques voltarão a ser permitidos somente para os cotistas que atendam a um dos critérios habituais: pessoas com 60 anos ou mais, aposentados, herdeiros de cotistas, pessoas em situação de invalidez ou acometidos por doenças específicas.

Cerca de R$ 17 bilhões já foram pagos aos trabalhadores que atuaram entre 1971 e 1988 na iniciativa privada (com carteira assinada) ou no serviço público, desde o início do processo de flexibilização dos saques do Fundo PIS/Pasep, em outubro de 2017, até agora.

Do público potencial de 28,5 milhões de pessoas que havia em 2017, mais de 15,5 milhões de trabalhadores já receberam os recursos, ou seja, 55% do total.
  
Agência da Caixa Econômica Federal - José Cruz/Arquivo Agência Brasil
As pessoas com menos de 60 anos representavam, em outubro de 2017, a maior parte dos cotistas do Fundo PIS/Pasep, somando 16,3 milhões de trabalhadores. De acordo com os últimos dados do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, até o último dia 16 cerca de 5,7 milhões de cotistas nessa faixa etária ainda não haviam se dirigido às agências da Caixa Econômica Federal ou do Banco do Brasil para buscar o benefício.

Divergências no cadastro
Dos R$ 17 bilhões já pagos aos cotistas, aproximadamente R$ 8,5 bilhões foram entregues aos trabalhadores por meio de depósito automático na conta corrente, ou seja, sem a necessidade de ir à agência bancária.
De acordo com o Ministério do Planejamento, isso foi possível devido aos créditos feitos pelo Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal aos seus correntistas e a uma parceria envolvendo a Federação Brasileira de Bancos (Febraban), a Caixa, o Banco do Brasil e mais oito instituições: Bradesco, Itaú, Santander, Bancoob, Sicredi, Banestes, BRB e Mercantil.
Devido a questões de segurança e a divergências cadastrais, cerca de 5 milhões de cotistas com CPFs válidos não receberão os depósitos automáticos. Por isso, o ministério alerta que cotistas com menos de 60 anos, interessados em ter acesso imediato ao dinheiro, devem procurar as agências da Caixa e do Banco do Brasil até esta sexta-feira.

Direitos

Para saber o saldo e se tem direito ao benefício, o trabalhador pode acessar os sites do PIS e do Pasep. Para os cotistas do PIS, também é possível consultar a Caixa Econômica Federal no telefone 0800-726-0207 ou nos caixas eletrônicos da instituição, desde que o interessado tenha o Cartão Cidadão. No caso do Pasep, a consulta é feita ao Banco do Brasil, nos telefones 4004-0001 ou 0800-729-0001.

Têm direito ao saque as pessoas que trabalharam com carteira assinada antes da Constituição de 1988. As cotas são os rendimentos anuais depositados nas contas de trabalhadores, instituídas entre 1971, ano da criação do PIS/Pasep, e 1988.

Quem contribuiu após 4 de outubro de 1988 não tem direito ao saque. Isso ocorre porque a Constituição, promulgada naquele ano passou a destinar as contribuições do PIS/Pasep das empresas para o Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), que paga o seguro-desemprego e o abono salarial, e para o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Apesar de estar situada no Sertão Nordestino, em uma área cujo clima é semi-árido, de poucas chuvas, Condeúba já registrou na sua história períodos bons de chuvas, cheias regulares nos seus rios e uma produção regular na área agropecuária. A plantação de cana de açúcar para a produção de cachaça, açúcar e rapadura, pastos para a produção pecuária dentre outros itens produzidos pela agricultura familiar costumava abastecer o mercado interno nos anos 1950, quando foi construído o primeiro grande açude para abastecer a cidade, o açude do Champrão - e até mesmo servir para abastecer outras cidades da região.

Muito embora a cidade tenha registrado na sua história esse período de clima favorável quando o assunto é chuva, especialmente a partir dos anos 2000 os efeitos das secas prolongadas começaram a mostrar-se cada vez maiores. Com a mudança gradativa no clima da cidade, que segue o mesmo comportamento do clima do sertão nordestino, algumas atividades agrícolas foram inviabilizadas e atualmente já há preocupação com o abastecimento para finalidades elementares para a manutenção da vida como tomar banho, cozinhar e até mesmo para o consumo humano. 

Desde a grave seca que assolou a região de Condeúba no ano de 2013 quando a barragem do champrão chegou em níveis muito baixos, o tema "água" tem sido recorrente nas cidades dessa área geográfica e traz consigo preocupação e tensão. O maior reservatório da região desde 1950 ainda é o Açude do Champrão, com a diferença que passou a abastecer diretamente as cidades de Piripá e Cordeiros. Todos os projetos que já foram apresentados para trazer novos reservatórios ainda são meras promessas políticas, sem nada de concreto. 

O livro Um Século de Secas dos autores Catarina Buriti e Humberto Barbosas, que aborda sobre a seca no sertão aponta que:

"... até 2050, a demanda por água deverá aumentar em 50%. Segundo a UNCCD, até 2025, 1,8 bilhão de pessoas sofrerão com a escassez absoluta de água, enquanto 2/3 do mundo estarão vivendo em condições de estresse hídrico. No ano de 2030, cerca de 2,4 bilhões de pessoas no Planeta podem estar vivendo em áreas sujeitas a períodos de intensa escassez de água, o que pode deslocar uma população de até 700 milhões de cidadãos."

A escassez de água será um dos maiores desafios do século XXI porém, as discussões e políticas públicas acerca do assunto ainda são muito rasas e pouco efetivas. 

No caso específico da região de Condeúba, com mudança gradativa do clima, o que já é previsto por diversos estudos, trazendo secas cada vez mais prolongadas, a primeira medida emergencial que deveria ser tomada é a construção de um açude de maior porte. Dois projetos nessa linha figuram em anos eleitorais: A Barragem dos Morrinhos e a Barragem do São Domingos mas, nada de concreto além de promessas políticas aconteceu. Ambos os projetos tem um custo elevado (mais de 60 milhões de reais) e também um tempo para execução, que deve ser de pelo menos 8 anos. Mesmo levando um tempo considerável até que um açude como esse seja projetado, executado, alagado e então liberado para o uso, os governantes assistem o agravamento do problema do abastecimento de água sem mover uma palha sequer no sentido da solução ou das soluções.

Com a construção de uma barragem de médio porte, como previsto nos dois projetos citados, além de garantir um abastecimento para os municípios da região, seria possível o investimento em plantações irrigadas, o que traria mais vegetação para o bioma local, garantindo mais umidade no clima e também a alimentação do ciclo da água, o que poderia trazer mais chuvas.

Outra medida que requer atenção e é muito pouco discutida é a recuperação dos rios que cortam o município. O desmatamento dos leitos e nascentes, a construção de represas nos leitos dos rios e a poluição prejudicou o curso das águas que desembocam no açude do champrão.

As secas serão cada vez mais severas e não há perspectivas de mudanças para esse processo de ampliação do Sertão Nordestino. É necessário que os governos e sociedade civil se organize para discutir a problemática, trazer soluções efetivas que amenizem essas consequências e também para que seja possível implementar projetos e políticas públicas de modo que garanta o abastecimento antes que os reservatórios sequem e inviabilize até mesmo a vida humana na região.

A problemática requer discussões mais profundas, envolvendo clima, vegetação e até mesmo a questão socio-econômica. Serão necessárias mudanças de hábitos, mudanças no cenário econômico para evitar prejuízos e medidas efetivas dos governos para garantir a vida humana com dignidade nesses municípios que beiram um colapso hídrico. Retardar essas discussões e resumir o problema à racionamentos, retirada de lixos do açude do champrão ou outras atitudes necessárias mas, pouco efetivas, não trará resultado no plano macro, que será de onde poderá vim uma solução de maior abrangência. É preciso fazer o dever de casa mas, não se pode esquecer que o problema é muito maior e requer uma atenção aprofundada.

Portanto, basta uma visita no açude do Champrão, que hoje está no seu volume morto e ainda assim fornecendo em torno de 40 carros pipas por dia e todo o abastecimento via adutoras para os três municípios (Condeúba, Piripá e Cordeiros), para saber que é urgente a demanda por um novo reservatório de maior porte.

Esse texto não foi redigido por um especialista na área entretanto, não necessita se aprofundar muito tecnicamente para entender a complexidade que é o problema do abastecimento em Condeúba e região e também a urgência que se tem para começar a implementar projetos e políticas, tendo em vista que eles só surtirão efeito anos após ter dado o primeiro passo.

 Fica a reflexão.

O candidato à reeleição, Rui Costa (PT), lidera a corrida pelo governo do estado, de acordo com pesquisa Ibope divulgada nesta quarta-feira (26). O levantamento aponta que ele tem 61% das intenções de voto, contra 10% do segundo colocado, Zé Ronaldo (DEM). A margem de erro da pesquisa é de três pontos percentuais para mais ou menos.

O Ibope ouviu 1512 eleitores em 90 municípios entre o domingo (23) e esta terça-feira (25). O levantamento foi protocolado no Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA) com o registro BA-08144/2018 e no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o registro BR?00231/2018.

Confira abaixo o desempenho dos candidatos ao governo: Rui Costa (PT): 61%; José Ronaldo (DEM): 10%; João Henrique (PRTB): 2%; Marcos Mendes (PSOL): 1%; Célia Sacramento (Rede): 1%; João Santana (MDB): 1%; Orlando Andrade (PCO): 0%; Brancos/nulos: 13%; Não sabe: 11%.

Na madrugada desta quarta-feira (26), uma quadrilha que atuava na Bahia e em Pernambuco foi desarticulada e seis pessoas foram mortas. A operação, realizada pela Polícia Militar da Bahia (PM-BA), pela Cipe Caatinga, Polícia de Pernambuco e Polícia Federal, evitou o roubo de um avião de valores e apreendeu sete fuzis.

De acordo com informações da Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA), a movimentação da organização criminosa era acompanhada pelas polícias, que deflagrou a operação para frustrar o roubo de uma aeronave com valores, no Aeroporto da cidade de Salgueiro (PE).

Ainda de acordo com a SSP-BA, durante a operação houve confronto e os suspeitos acabaram sendo baleados e não resistiram aos ferimentos. Com a quadrilha os policiais apreenderam um fuzil calibre 50, seis fuzis AK 47, carregadores e munições.  Diligências em busca de outros integrantes estão sendo realizadas na divisa entre a Bahia Pernambuco.

O candidato do MDB à Presidência da República Henrique Meirelles alegou, nesta segunda-feira (24), durante um ato com militantes em Salvador, que a redução do tempo dedicado à propaganda eleitoral na televisão o deixa em desvantagens diante de presidenciáveis com maior popularidade.

Em últimas posições nas pesquisas de intenção de voto, o emedebista quer ver compensado seu investimento milionário na campanha em tempo recorde. 

“É muito cedo ainda. Temos 15 dias de campanha eleitoral e esse período é muito pouco tempo. A campanha é de 35 dias na televisão, ficou muito curta. E, como meu tempo de televisão é razoável, mas eu nunca fui candidato, não sou conhecido da população. Só agora a população está tendo oportunidade de me conhecer. Daqui até a data da eleição muita coisa pode mudar”.

Meirelles foi recebido pelo presidente do MDB e candidato ao governo baiano João Santana, que também patina nas pesquisas locais.

Entre as principais propostas, o emedebista falou em equipar o serviço de inteligência das polícias no Brasil, com uma rede federal de dados para apurar as investigações. Citou também que pretende, se eleito, seguir o modelo de reforma da Previdência do governo Michel Temer, que ele mesmo elaborou quando era ministro da Fazenda meses atrás.    

Afastado da campanha nas ruas há duas semanas, o deputado Jair Bolsonaro (PSL) manteve a liderança da corrida presidencial, de acordo com uma nova pesquisa feita pelo Datafolha.

Conforme o levantamento, concluído nesta quarta (19), o capitão reformado do Exército oscilou dois pontos para cima e alcançou 28% das intenções de voto, mantendo a trajetória de crescimento observada desde o início da campanha.

O ex-prefeito Fernando Haddad (PT), que cresce desde sua confirmação como substituto do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na corrida, atingiu 16% das preferências, três pontos a mais do que na semana passada.

O candidato petista continua tecnicamente empatado com Ciro Gomes (PDT), que ficou estagnado, com 13%.

O instituto entrevistou 8.601 eleitores de 323 municípios na terça (18) e na quarta (19). A margem de erro é de dois pontos percentuais, e o nível de confiança é de 95%. A pesquisa foi contratada pela Folha de S. Paulo e pela TV Globo e registrada no Tribunal Superior Eleitoral sob o protocolo BR-06919/2018.

As menções espontâneas a Bolsonaro também cresceram nos últimos dias, assim como as citações a Haddad.

Bolsonaro cresceu no Sudeste, Norte e Sul, onde atingiu sua melhor marca (37%), e ganhou pontos entre jovens e até entre mulheres, apesar da grande rejeição no segmento.

O petista cresceu no Sudeste e no Nordeste -onde alcança a melhor pontuação (26%) e única região em que está à frente de Bolsonaro.

O ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB), que tem quase metade do tempo de TV, está estagnado na pesquisa, com 9%.

O tucano aparece empatado com Marina Silva (Rede), que agora soma 7% das preferências, menos da metade do que tinha no início da campanha.

As simulações do Datafolha para segundo turno mostram que Ciro é o único candidato que venceria todos os rivais.

Ele bateria Bolsonaro com 45% das intenções, vantagem de 6 pontos sobre o capitão. Nos outros cenários, Bolsonaro empata com Haddad, Alckmin e Marina.

A rejeição a Bolsonaro continua alta, e a de Haddad cresceu. Segundo a pesquisa, 43% dos eleitores dizem que não votariam de jeito nenhum no capitão e 29% rejeitam o petista.

Os eleitores de Bolsonaro e Haddad são os mais convictos. Apenas um de cada quatro apoiadores dos candidatos admite escolher outro nome.

No conjunto do eleitorado, 40% dizem que podem mudar o voto. Entre eles, 15% indicam Ciro como segunda opção, 13% apontam Marina, 12% optam por Haddad e Alckmin e 11% indicam Bolsonaro.